Após confirmação de quatro casos em SC, Chapecó reforça vacina contra o sarampo

Atualizado

Depois da confirmação de quatro casos importados de sarampo em Santa Catarina, três em Florianópolis e um em Guaramirim, de pessoas que estiveram no Estado de São Paulo, a Secretaria de Estado da Saúde orientou aos municípios catarinenses algumas estratégias de prevenção.

Um dos sintomas do sarampo é o aparecimento de manchas no corpo – Ministério da Saúde/Divulgação

Em Chapecó, por ser um município com grande circulação de pessoas devido a sua posição geográfica, além de ser rota de destinos como São Paulo e Florianópolis, onde foram registrados os casos da doença, os profissionais de saúde foram orientados a fazer vacinação de bloqueio como medida de prevenção.

Por isso, na sexta-feira (2) as equipes da Secretaria de Saúde, estiveram no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso, para vacinar os funcionários do aeródromo, taxistas e ubers, que atuam na cidade. De acordo com a prefeitura, essa estratégia tem por objetivo, imunizar as pessoas que atendem diretamente o público viajante.

Leia também:

Sarampo 

O Sarampo é uma doença infecciosa exantemática aguda, transmissível e extremamente contagiosa, muito comum na infância, podendo evoluir para complicações e óbito. 

A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções respiratórias, no período de quatro a seis dias antes do aparecimento do exantema até quatro dias após. 

Os sintomas são febre maior que 38,5 °C, tosse e coriza, conjuntivite, dor de cabeça, manchas brancas na boca e manchas vermelhas pelo corpo (exantema) sem prurido.

Dados 

Em 2016, o Brasil recebeu o certificado de eliminação da circulação do vírus do Sarampo pela OMS (Organização Mundial da Saúde), declarando a região das Américas livre da doença. 

Desde 2018 ocorre intensa circulação do vírus do Sarampo em várias regiões do mundo, com avanço significativo da doença no continente Americano. 

O Brasil em 2018 reportou 10.300 casos, em 2019, até a semana epidemiológica nº 27 foram confirmados 415 casos nos estados de São Paulo, Amazonas, Roraima, Pará e Santa Catarina com dois casos.

Mais conteúdo sobre

Saúde