Chuva ameniza seca no lajeado que abastece Chapecó 

Atualizado

A chuva que caiu durante a quinta-feira (2) em Chapecó, no Oeste do Estado, normalizou o nível do lajeado São José. O manancial abastece a área urbana do município de 240 mil habitantes.

Chuva ameniza seca no lajeado que abastece Chapecó

A Defesa Civil informou que choveram cerca de sete milímetros nas últimas horas em Chapecó. Com isso, o nível do lajeado aumentou 10 centímetros. A cidade está em estado de emergência por conta da estiagem que afeta a região desde o início do ano. 

Mesmo com nível do manancial normalizado, a Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) pede que a população economize água. A orientação visa evitar de novo o racionamento do abastecimento no município, já que a previsão do tempo indica pouca chuva para abril e maio. 

“Não estamos mais, nesse momento, fazendo manobras, mas os cuidados continuam sendo necessários, pois continuamos em situação crítica. O nível está bem baixo ainda, pois recuperou pouca coisa”, disse o Superintendente Regional do Oeste da Casan, Daniel Scharf.

Leia também:

A companhia implantou duas bombas flutuantes que aumentaram a capacidade de captação no São José e trabalha na limpeza da barragem com máquinas. Também instalou novos equipamentos de captação no lajeado Rio Tigre que auxilia a aumentar a vazão necessária para o município. 

Buscar água no rio Uruguai 

A unidade Chapecó da BRF Foods busca água no rio Uruguai para manter a produção da empresa desde o dia 23 de março. Todos os dias dezenas de caminhões vão até o porto Goio-Ên, abastecem e despejam na represa da indústria, que fica a cerca de 23 km do lago.

BRF Chapecó busca água no rio Uruguai – Reprodução/ND

A Casan destaca que buscar água no rio Uruguai seria inviável para as necessidades do abastecimento humano. O trabalho exigiria a movimentação de quase 200 carretas semelhantes com viagens de hora em hora.

Mais conteúdo sobre

Meio Ambiente