Cinco anos após data prevista para inauguração, sede da UFSC em Joinville segue inacabada

Atualizado

Quem passa diariamente pela BR-101 no Norte do Estado já se acostumou com o “esqueleto” de um prédio abandonado às margens da rodovia. O local, que era para ser a sede joinvillense da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), continua com as obras paradas e sem perspectiva de retomada.

Obras da UFSC continuam paradas por falta de recursos – Foto: Arquivo/ND

A construção da sede da universidade em Joinville teve início em maio de 2012. Segundo a UFSC, na época, com o novo prédio, a expectativa era que 2 mil alunos de graduação fossem beneficiados com o novo espaço. A área foi doada pela prefeitura após a aprovação de uma lei municipal.

Na época, quatro obras, entre elas um edifício de 9.850 m² , entraram em fase de construção, com previsão de inauguração no primeiro semestre de 2014. Porém, sete anos depois do início das construções, o prédio continua com os trabalhos parados e compõe o ranking de “obras iniciadas e nunca acabadas”.

Falta de recursos

De acordo com o chefe de gabinete da UFSC, Aureo Moraes, o principal motivo para a paralisação das obras foi a falta de recursos. Ele conta que a primeira etapa da obra, que contou com o erguimento da estrutura do prédio, foi realizada por meio de licitação.

Obras iniciaram em 2012 e ainda não ficaram prontas – Foto: UFSC/Divulgação

Para que a obra continuasse, era preciso que novos projetos licitatórios fossem aprovados. Assim, a universidade garantiria os recursos restantes para finalizar o prédio. Porém, mesmo com as inúmeras solicitações, o orçamento necessário ainda não foi repassado.

“Após a primeira etapa, chegou em uma altura que seria necessária uma nova licitação. Então, tentamos junto ao Governo Federal novos recursos, mas até o momento não conseguimos”, explicou Aureo.

Atualmente, a obra está orçada em aproximadamente R$ 60 milhões – realidade distante para a universidade, que nos últimos anos vem lidando com cortes no orçamento. Por conta disso, Aureo afirma que não há planos para que a obra seja retomada nos próximos anos.

“A única solução, neste caso, seria se o Governo previsse recursos suficientes para continuar com as obras da sede, dentro da lei orçamentária. Mas, enquanto não conseguimos os valores, a obra, que é complexa, continua sem alteração”, explica.

Atualmente, universidade está sediada em um complexo industrial – Foto: UFSC/Divulgação

Universidade atua em sede alugada

Instalada desde 2009 em Joinville, atualmente a UFSC funciona em um prédio de 13.000 m² alugado em um condomínio empresarial. O valor mensal do aluguel é R$ 450 mil.

Com 1.800 alunos, a universidade informou que “modelo de parceria reconhecido pelo próprio MEC, tem se destacado em várias áreas e atende perfeitamente à demanda atual”.

Questionado sobre a possibilidade do uso do dinheiro do aluguel para continuar as obras, Aureo explicou que isso não pode ser feito por lei.

“O orçamento repassado é dividido em dois grupos: capital e custeio. O custeio, que geralmente é a maior fatia, corresponde ao pagamento de despesas, como o aluguel. Já as verbas de capital são para o pagamento de obras e construção de novas sedes. Por isso, por serem verbas de natureza distinta, não é permitido usar o valor do aluguel para o pagamento de obras e vice-versa”, explica Aureo.

Enquanto os recursos não têm previsão de serem liberados – a universidade acredita, inclusive, que no próximo ano possa haver um novo corte de recursos destinados à instituição -, os alunos e moradores da região continuam a vislumbrar, à beira da estrada, as rupturas de mais uma promessa que não saiu do papel.

Prefeitura não quer terreno de volta

O terreno foi doado pela Prefeitura de Joinville à universidade em 2008, através da sanção de uma Lei Municipal, pelo então prefeito Marco Antônio Tebaldi.

Na legislação consta que o local poderia ser retomado pelo Município caso não houvesse a construção do campus.

Em nota, a Prefeitura informou que “não há perspectiva para a retomada, já que o terreno ainda é uma área que a UFSC pretende usar”.

Leia também:

*Errata: a reportagem havia publicado inicialmente que a UFSC estava em Joinville desde 2007, mas na verdade, a universidade está na cidade desde 2009

Infraestrutura