Com 13º tardio, comerciantes mantêm o embalo da Black Friday em SC

Atualizado

Neste ano algumas pessoas vão receber o 13º salário apenas no dia 20 de dezembro. Essa é a data limite que as empresas tem para depositar a segunda parcela do benefício. Os servidores públicos de Santa Catarina, por exemplo, devem receber o pagamento no 17.

Black Friday: maior procura será por eletrodomésticos, eletrônicos e vestuário – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Como o dinheiro ainda não pingou, o comércio precisa encontrar alternativas para não deixar o mercado “esfriar” depois da Black Friday e manter as vendas aquecidas no fim do ano. O último mês do ano costuma ser um dos melhores meses para os lojistas, impulsionado pelas compras de Natal.

Para a CDL, a alternativa encontrada pelos lojistas foi aproveitar o embalo da Black Friday e manter os preços baixos. As vendas deste ano, por exemplo, superaram em mais de 10% as vendas de 2018, tanto na Black Friday como no acumulado do ano.

“A expectativa é muito positiva. Sabemos que toda a injeção de recurso no mercado com o FGTS e 13º anima o lojista a manter as liquidações”, afirmou Ernesto Caponi, presidente da CDL de Florianópolis.

Para Caponi, a queda na taxa de juros também dá um alento e estímulo para o consumidor. Ele afirma ainda que os lojistas, para acabar com a mercadoria estocada, fazem promoções que ajudam a movimentar o comércio e também os serviços.

Este ano, em especial, foi muito positivo para os lojistas. Segundo a CDL, houve aumento gradual nas vendas deste ano. Embora não tenha havido um grande salto de um mês para o outro, o crescimento foi constante. Desta forma, os comerciantes se sentem mais seguros para garantir as promoções.

A expectativa é que as vendas de fim de ano sejam ao menos 10% maiores do que em 2018. O número, no entanto, pode ser ainda maior se mantida a tendência do restante do ano.

Black Friday oferece descontos de até 80% em comércio e serviços – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Maior intenção de compras desde 2015

De acordo com pesquisa realizada pela Fecomércio – SC (Federação do Comércio de Santa Catarina), a intenção de compras para o Natal é a maior desde 2015 em Santa Catarina. O catarinense pretende em média, gastar R$ 493,74 com presentes.

Para o presidente da Fecomércio – SC, Bruno Breithaupt, a melhora nos indicadores de confiança pode justificar o otimismo do mercado.

A pesquisa apontou que 15,9% dos catarinenses irão utilizar a renda extra do FGTS e do 13º salário para compras de final de ano.

O estudo também apontou que 79,3% dos catarinenses farão pesquisas de preços antes de efetuarem suas compras e que a maioria deles pagará à vista.

Por fim, a pesquisa indicou que o comércio de rua deverá ser o principal destino de compras (65,4%) e que os itens mais procurados devem ser no setor de vestuário (67,4%).

Mais conteúdo sobre

Economia