Com barcos reduzidos, prefeitura não tem previsão para fim de auditoria sobre Cooperbarco

Os barcos da Cooperbarco continuavam operando com a metade dos horários nesta terça-feira - Daniel Queiroz/ND
Os barcos da Cooperbarco continuavam operando com a metade dos horários nesta terça-feira – Daniel Queiroz/ND

A Cooperbarco, cooperativa de barcos que faz o transporte marítimo no trajeto entre Lagoa da Conceição e Costa da Lagoa, em Florianópolis, comunicou na tarde desta quarta-feira (14) que continua em greve. O motivo é que, até o momento, a prefeitura ainda não havia se posicionado sobre a retomada do repasse de verba. A operação continua de forma parcial, com apenas 16 horários de viagens, sendo que normalmente são oferecidas 31.

A prefeitura informou, por meio da assessoria de imprensa, que nesta tarde continuava com a auditoria da prestação de contas da Cooperbarco e que não havia uma previsão de término ou retorno à cooperativa.

Em greve parcial desde a última segunda-feira (12), pela falta de verba repassada pela Prefeitura de Florianópolis, a Cooperbarco teve o último repasse, de cerca de R$ 35 mil, feito em novembro, conforme o presidente Rubens Onofre Laureano.

A paralisação foi anunciada após a administração municipal questionar notas enviadas pela cooperativa em sua prestação de contas anual, uma exigência para que o repasse continuasse a ser liberado. Conforme a prefeitura, algumas das notas não condiziam com o subsídio que era pago pelo município para os gastos com o serviço, como a compra de carnes, por exemplo.

A cooperativa prestou esclarecimentos a respeito das notas questionadas, que somavam cerca de R$ 2.000. De acordo com o presidente da associação de moradores e membro da cooperativa, Volnei Valdir de Andrade, foi comprovado que as notas eram referentes a uma confraternização de fim de ano e não foram pagas com subsídios da prefeitura.

Na terça-feira (13), a cooperativa recebeu parecer positivo da Secretaria da Fazenda da Capital em relação às notas questionadas. Agora, a Cooperbarco aguarda o parecer final do secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Marcelo Roberto da Silva, para voltar a operar com todos os 31 horários dos barcos.

“Tive uma reunião com Silva na manhã desta quarta-feira e ele ficou de me dar um retorno. Ainda não temos uma posição, por isso continuamos em greve e com o serviço funcionando de forma parcial, já que o valor dos passageiros não cobre as despesas das viagens”, comenta Laureano. O presidente ainda destaca que a cooperativa tem bancado sozinha os custos das embarcações, trabalhadores, combustível e os demais gastos.

“Somente o preço da passagem é insuficiente para cobrir todas as despesas. Atualmente, o morador da região paga R$ 2,50 (com meia tarifa para estudantes) para cruzar a Lagoa de barco. Turistas pagam R$ 10 o trecho”, informa.

Horários em que os barcos continuam circulando

Saída da Costa da Lagoa: 5h50, 7h, 9h40, 11h45, 14h, 16h, 18h30, 21h30.

Saída da Lagoa da Conceição: 7h10, 9h15, 12h30, 14h10, 16h18, 17h40, 20h10, 23h30.

Mais conteúdo sobre

Cidade