Com poucos clientes, parte do comércio reabre em Florianópolis

Atualizado

Mesmo com a forte chuva e o ar um pouco mais gelado de outono, foi possível ver ruas mais movimentadas na tarde desta segunda-feira (6), no Centro de Florianópolis.

Autônomos, profissionais liberais da saúde, da área jurídica, além dos serviços de faxina e jardinagem voltaram a abrir as portas após três semanas, contribuindo para um aumento de pessoas nas ruas.

Barbeiro higieniza a cadeira após terminar corte em cliente – Foto: Flávio Tin/ND

Foi o caso da tradicional Júnior Vargas Barbearia, na avenida Hercílio Luz. O proprietário, que dá nome ao local, conta que o movimento ainda está longe do normal, muito, segundo Vargas, devido à falta de circulação de ônibus na cidade.

O local ficou três semanas de portas fechadas e reabriu às 8h desta segunda, funcionando com apenas dois dos cinco funcionários, os demais seguem em suas casas.

“Hoje o movimento foi cerca de 20% do que era em um dia normal. Ainda assim é melhor do que ficar de portas fechadas, pois as contas chegam”, afirma o autônomo.

O local segue as recomendações do governo. Podem entrar apenas dois clientes por vez, é disponibilizado álcool em gel na entrada e no balcão central, pia com água e sabão para lavar as mãos.

Os funcionários utilizam máscaras, além da higienização imediata das cadeiras, com álcool 70%, cada vez que um cliente termina seu corte.

Leia também:

Poucas vendas

Outro local que voltou a abrir as portas foi a Ótica Principal, na rua Jerônimo Coelho. A loja reabriu às 8h desta segunda-feira, mas, no entanto, até o período da tarde, tinha atendido apenas dois clientes, contou o proprietário Robson Duarte.

Ainda com poucas pessoas na rua, o movimento foi fraco na Ótica Principal – Foto: Foto Flavio Tin/ND

“A falta de ônibus afasta os clientes, não tem movimento, fica realmente complicado”, lamentou Duarte. O local funciona com dois funcionários, o próprio Robson e a atendente Vanda Xavier.

De acordo com o proprietário é possível estimar um prejuízo de mais de 50% após três semanas sem abrir as portas. “As pessoas tem receio, é compreensível, esperamos que tudo isso passe”, disse.

Horário reduzido

No salão de beleza Cotirô, na rua Jerônimo Coelho, a medida para reabrir as portas foi a redução do quadro de funcionários em 50% e jornada mais curta – funcionando das 9h às 18h, anteriormente funcionava das 8h30 às 19h30.

Cartazes, sinalização e poucos clientes, salão reabre com regras de higienização – Foto: Flavio Tin/ND

O local está atendendo apenas clientes com hora marcada para evitar aglomerações. Outras medidas utilizadas foram a sinalização no chão para manter o distanciamento entre os clientes, álcool em gel disponível já na entrada, utilização de máscaras e informativos dentro do ambiente sobre cuidados contra o vírus.

Questionada se as clientes estariam tranquilas quanto a possíveis toques em rostos, mãos e pés por parte das profissionais, a gerente do local, Priscila Basso, afirmou que as clientes estavam tranquilas por verem as medidas de segurança adotadas no local.

Regras

Para funcionar, os autônomos precisam respeitar as regras de distanciamento social, com atendimentos individualizados, sem aglomeração de pessoas nas salas de espera, com a correta higienização dos ambientes e o uso de EPIs.

Em caso de teste positivo para a Covid-19 ou da apresentação de sintomas da doença, o profissional não poderá realizar atendimento, devendo permanecer em isolamento.

Fiscalização

Com a reabertura de alguns pontos do comércio, a reportagem do nd+ entrou em contato com o governo do Estado, para entender como funcionaria a fiscalização destes estabelecimentos.

Segundo o governo, a PM (Polícia Militar) segue atuando na fiscalização diária. Até o momento, desde a publicação do primeiro decreto governamental, foram atendidas mais de 2.000 ocorrências, nas quais foram realizadas cerca de 1.500 notificações, mais de 100 estabelecimentos foram interditados e foram lavrados cerca de 300 termos circunstanciados.

Apesar da chuva, movimento nas ruas de Florianópolis foi maior do que nos últimos dias – Foto: Flavio Tin/ND

O Judiciário fica com a incumbência de marcar uma audiência (quando o autor da conduta deve comparecer). Sete pessoas já foram presas em razão do descumprimento das medidas restritivas.

Apenas nesta segunda, em Florianópolis, 23 estabelecimentos foram fechados pela GMF (Guarda Municipal de Florianópolis), por abrirem de maneira irregular.

É possível fazer denúncias pelo número 190 ou por meio do aplicativo PMSC Cidadão. Para baixar o aplicativo, o cidadão pode utilizar as lojas virtuais, tanto do sistema Android como IOS, orientou o governo através de assessoria de comunicação.

“A PMSC está agindo de forma atuante na fiscalização do decreto. Além disso, o Governo do Estado conta com o apoio dos órgãos municipais, forças de segurança e denúncias da população catarinense”, informou o governo.

Número de casos

Em coletiva no início da noite desta segunda-feira o governador Carlos Moisés atualizou o número de casos de coronavírus em Santa Catarina. São 417 casos confirmados no Estado, sendo 99 na Capital, 52 em Blumenau e 27 em Criciúma.

Saúde