Com Escolas do Futuro, Florianópolis vira referência nacional na Educação

Atualizado

Escola do futuro oferece ensino quadrilingue no bairro Tapera, em Florianópolis – Cristiano Andujar/PMF/Divulgação/ND

Uma nova forma de enxergar e trabalhar a Educação vai ganhando corpo em Florianópolis. Desde fevereiro deste ano, duas escolas-modelo devem qualificar ainda mais os estudantes da rede municipal de ensino. Isso porque a Escola do Futuro, que oferece o ensino quadrilingue — português, inglês, Língua Brasileira de Sinais (Libras) e Letramento Digital (ler, escrever e interpretar informações, códigos e sinais com dispositivos digitais) —, além de projetos como Clube de Esportes, Clube do Empreededor e Clube de Ciências e Robótica, teve duas unidades inauguradas pela prefeitura: Ratones, no Norte da Ilha, e Tapera, no Sul da Ilha.

Elas atenderão 1.080 estudantes do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da modalidade Educação de Jovens, Adultos e Idosos (EJA), sendo 560 em Ratones e 520 na Tapera. As turmas dos anos inicias terão aulas em tempo integral e as turmas dos anos finais terão aulas em tempo parcial e atendimento no contraturno por meio de oficinas e projetos.

Para o prefeito Gean Loureiro, esse modelo educacional proporciona um futuro promissor para os alunos e pode servir de inspiração para outras cidades brasileiras. “Buscamos que quando um estudante se forme, ele saia preparado para o mercado de trabalho. A Escola do Futuro foi criada para servir de modelo nacional, queremos ser laboratório de pesquisa para o país inteiro por conta da inovação e qualidade no ensino”, afirmou durante a inauguração da unidade da Tapera.

Um dos pontos centrais da metodologia de ensino a ser aplicada nessas unidades é incentivar a autonomia dos estudantes, com vivências conectadas à sua realidade, a fim de que sejam estimulados a desenvolver a criatividade e a pesquisa científica para a resolução de situações existentes ou hipotéticas.

Ratones também tem escola do futuro, em um modelo referência no país – Cristiano Andujar/PMF/Divulgação/ND

De acordo com o secretário municipal de Educação, Maurício Fernandes Pereira, esse modelo é a realização de um projeto desenvolvido por profissionais capacitados e comprometidos com um ensino de qualidade. “A gente consegue colocar nessa escola um pouco dos nossos sonhos como educadores. Sabemos que nossos estudantes sairão prontos e capacitados para os desafios do mercado de trabalho”, avaliou.

Reforço de profissionais e equipamentos

Para atender a demanda destas duas e também das outras unidades de ensino da rede municipal, a prefeitura de Florianópolis anunciou que vai efetivar a contratação de 119 profissionais concursados, entre professores, orientadores educacionais, supervisores e administradores escolares.

Segundo o secretário de Educação, a contratação foi necessária não só por conta da inauguração das Escolas do Futuro, mas também porque houve um aumento de estudantes portadores de deficiência matriculados na rede, além da necessidade de sanar o déficit histórico de profissionais.

Ao longo da última gestão, a prefeitura também tem reforçado as unidades educativas com novos computadores e notebooks e investido na formação dos profissionais da área, com aporte na casa dos R$ 11 milhões. “Não basta querermos que os estudantes estejam em sintonia com as novas tecnologias se não dermos condições estruturais para as crianças e adolescentes”, disse Maurício Fernandes Pereira.

Município vai efetivar a contratação de 119 profissionais concursados para atender demanda nas unidades da rede municipal de ensino – PMF/Divulgação/ND

Mais escolas e creches

Não foram apenas as Escolas do Futuro na Tapera e em Ratones que tiveram as obras concluídas e inauguradas neste começo de ano. Na Lagoa da Conceição, foi entregue a reforma e ampliação da Escola Básica Municipal Henrique Veras, que teve investimento de R$ 4,6 milhões e atende mais de 300 estudantes.

A unidade conta com dois blocos, sendo um com biblioteca, secretaria e sala de dança e judô. No outro, há 11 salas de aula, cozinha, laboratórios de ciências e informática e salas da direção. Além disso, há uma quadra de esportes coberta.

Já na Barra da Lagoa, foi inaugurado o novo prédio do Núcleo de Educação Infantil Municipal Elisabete Anderle, com investimento de R$ 2,9 milhões. Se antes eram apenas duas salas com 51 crianças, agora a unidade conta com seis salas e tem a capacidade para atender cerca de 130 crianças entre quatro meses e seis anos de idade.

A grande novidade, no entanto, fica por conta do sistema de coleta de água da chuva e espaço para amamentação. Um reservatório poderá captar a água que cai do céu para que, posteriormente, ela seja utilizada para irrigar jardins e hortas, lavar pisos e ser utilizada nas descargas de vaso sanitário. Já a sala de amamentação proporcionará a possibilidade para que as mães tenham privacidade e não interrompam o aleitamento materno com a entrada da criança na creche.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

Prefeitura de Florianópolis