Comcap se prepara para atender demanda na temporada de verão 2019/2020

Apenas no último feriadão da Proclamação da República, foram retiradas 120 toneladas de resíduos da orla em Florianópolis

Comcap retirou  120 toneladas de resíduos da orla, na Capital, no último feriadão da Proclamação da República – PMF/Divulgação/NDComcap retirou  120 toneladas de resíduos da orla, na Capital, no último feriadão da Proclamação da República – PMF/Divulgação/ND

O grande volume de lixo produzido no mundo, mais de 2 bilhões de toneladas por ano, e o descarte inadequado dos resíduos, se tornaram hoje um grave problema a ser resolvido em todo o planeta. De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), 99% dos produtos que compramos são jogados fora dentro de seis meses. Para acomodar os 7,6 bilhões de moradores do mundo, suprir o uso de recursos e absorver o lixo gerado, seria necessário 70% de outro planeta Terra. No litoral, são jogados na orla todo o tipo de rejeito, que, sugado pelo mar, acaba engolido por animais marinhos ou contaminando os oceanos. Em Florianópolis, é preciso muito planejamento, investimento e trabalho de todos da Comcap (Autarquia de Melhoramentos da Capital) para manter as ruas e as praias limpas, principalmente na temporada.

De acordo com a Comcap, a alta geração de resíduos no feriadão de Proclamação da República agravou as projeções de desafios para a Operação Verão 2019/2020. Ao todo, foram retiradas 120 toneladas de resíduos da orla. A coleta de resíduos domiciliares teve pico de produção na segunda-feira, quando foram coletadas 1.180 toneladas em Florianópolis.

Essa quantidade, em 18 de novembro, superou o pico de geração de resíduos no ano que havia sido em 2 de janeiro, com coleta de 1.089 toneladas num único dia. “Tradicionalmente, o pico de geração se dá logo após o Réveillon, este ano tivemos o dia de maior coleta em novembro. Isso amplia nosso desafio de orientar os veranistas e moradores para que a necessidade de reduzir a geração de lixo, separando melhor os materiais para reciclagem nos seus domicílios”, afirma o presidente da Comcap, Márcio Alves.

O prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, alerta para a importância da conscientização de todos quanto à destinação dos resíduos, seja em casa ou nos balneários. “Florianópolis caminha para se tornar  a primeira capital lixo zero do Brasil, desviar do aterro 90% dos resíduos orgânicos e 60% dos recicláveis secos até 2030. Mas todos precisamos colaborar para o meio ambiente, para que nosso ambiente seja sustentável”, afirma.

Coleta de resíduos chega a aumentar até 41% durante os meses da temporada de verão – PMF/Divulgação/NDColeta de resíduos chega a aumentar até 41% durante os meses da temporada de verão – PMF/Divulgação/ND

Coleta aumenta até 41% no verão

Nos meses de temporada, a coleta de resíduos chega a aumentar até 41%, apontam dados da Comcap. Em janeiro de 2019, foram coletadas 23 mil toneladas, e em junho deste ano, 16,3 mil toneladas.

A coleta torna-se diária nos principais balneários da Ilha de Santa Catarina. Para isso, a autarquia vai contratar 150 pessoas de forma temporária.  Está em andamento a seleção pública para contratação temporária de até 90 garis de coleta, 45 garis de limpeza pública e 15 motoristas.

Os resíduos retirados da orla são dispostos em pontos estratégicos onde são instaladas grandes caixas estacionárias, de modo a deixar o menor tempo possível expostos aos veranistas. “Os investimentos da Prefeitura de Florianópolis, que somam mais de R$ 18 milhões desde 2017, prepararam a Comcap para o melhor verão em termos de limpeza das praias e, ao mesmo tempo, manutenção da cidade. É uma época em que o mato cresce muito rápido, pelo calor e umidade, mas temos certeza que vamos dar conta”, aposta o presidente da Autarquia Melhoramentos da Capital, Márcio Alves.

Resíduos recolhidos na orla são misturados, por isso não podem ser encaminhados para a reciclagem – PMF/Divulgação/NDResíduos recolhidos na orla são misturados, por isso não podem ser encaminhados para a reciclagem – PMF/Divulgação/ND

Veranista não deveria deixar lixo na orla

Como os resíduos recolhidos na orla são misturados, não podem ser encaminhados para a reciclagem, por isso a Comcap instrui o morador e visitante a tornar para sua casa as embalagens de produtos que consome na praia.

“Se o veranista vai para a faixa de areia com uma sacola com garrafas, latas, sacos e potes com comida e bebida, pode retornar para casa com as mesmas embalagens vazias e as encaminhar para a coleta seletiva. Depois de consumidos, os produtos estarão mais leves e também mais leve será a consciência de encaminhar de forma adequada os resíduos. Ninguém deveria deixar lixo na beira da praia”, aconselha Márcio Alves.

Maria Laura Soares, 26, esportista, conta que um dia, enquanto corria, viu banhistas deixando todos os resíduos do que utilizaram e consumiram na areia da praia de Canasvieiras e, cansada de ver essa cena tantas vezes sem agir, deixou o esporte de lado e foi até o local onde a família estava. Educadamente explicou a situação do planeta, da cidade, os esforços para a limpeza da orla e teve uma boa surpresa com o resultado da ação. “Eu pensei que a família ia ficar brava comigo, mas eles ouviram tudo o que eu tinha a dizer, me agradeceram, levaram o lixo embora e prometeram não repetir o comportamento. Não sei se a promessa será cumprida, mas saí muito feliz por não ter me omitido e, naquele momento, ter dado uma voz para o nosso meio ambiente. Acho que é assim, né, nas atitudes e ações que temos no nosso dia a dia, que começamos a fazer um mundo melhor, pelo menos assim espero”.

Conforme determina a Lei Municipal nº 10.199, de 27 de março de 2017, a Prefeitura Municipal de Florianópolis informa que a produção deste conteúdo não teve custo, e sua veiculação custou R$2.000,00 reais neste portal.

+

Prefeitura de Florianópolis

Loading...