Cones organizam e pacificam trânsito na Lagoa da Conceição, em Florianópolis

Atualizado

Foram mais de 30 dias de desrespeito e ausência do Poder Público na organização do trânsito na Lagoa da Conceição. Mas no domingo (20), a Diope (Diretoria de Operações no Sistema Viário) da prefeitura de Florianópolis, em parceria com a PM (Polícia Militar SC), instalou cones para reforçar a sinalização no início da avenida Henrique Veras do Nascimento, com objetivo de evitar que os motoristas continuem a furar a fila formada em direção às praias do Leste da Ilha.

Os problemas começavam com o congestionamento na rua Afonso Dalembert Neto, que dá acesso a avenida Henrique Veras do Nascimento, em direção às praias do leste da Ilha, pois a fila se forma na faixa da direita e se estende até a rótula do centrinho. Porém, os motoristas aproveitavam que a faixa da esquerda na rua Afonso Dalembert estava mais livre para avançar e tentavam trocar de pista na entrada da avenida Henrique Veras do Nascimento, furando a fila para a ira dos motoristas que ficavam parados na faixa direita devido ao congestionamento. 

Cones foram colocados para evitar que motoristas mudem de faixa e furem a fila em direção às praias - Foto: Flávio Tin/ND
Cones foram colocados para evitar que motoristas mudem de faixa e furem a fila em direção às praias – Foto: Flávio Tin/ND

Os cones já haviam sido instalados no ano passado pela Polícia Militar. Mas neste ano, a temporada começou, e os cones não foram colocados, segundo a PM, porque a prefeitura instalou tachões. Porém, a sinalização se mostrou pouco eficiente para evitar a ação de motoristas mal educados. Resultado: os horários de pico viraram um tormento para os comerciantes, que assistiam desavenças, ameaças e até espancamentos, e indignação para os motoristas que aguardavam na fila da direita, formada ainda na rua Afonso Dalembert.  

“Falta uma placa na Afonso Dalembert para informar que é preciso ficar na direita”, relata um motorista residente em Florianópolis, que passou pelo local já sinalizado com o cone. Feirante estabelecido no pátio da SAL (Sociedade Amigos da Lagoa) destacou a utilização dos cones para sinalizar a via de forma eficiente. “Até que enfim eles pensaram. Parece que não se importavam. Falta planejamento, pois isso acontece todo ano. Todo dia era uma barulheira de buzina e gritos”, relatou o feirante.

Um prestador de serviço que prefere não se identificar para evitar represálias conta que na semana passada três homens espancaram um motorista que tentava furar a fila e acabou colidindo o veículo. “Ele teve que se refugiar na loja de calçados da esquina, mas mesmo assim apanhou muito”, conta.  No dia seguinte, viu um motorista de aplicativo desistir de furar a fila após esbravejar com outro motorista, que intimidado, resolveu mostrar uma arma de fogo. “O motorista do aplicativo só faltou ajoelhar”, relata.

Motoristas furam a fila e prejudicam a mobilidade no trânsito na Lagoa - Foto: Marco Santiago/ND
Sem os cones, motoristas furavam a fila e prejudicavam a mobilidade no trânsito na Lagoa – Foto: Marco Santiago/ND

Com os cones instalados desde a manhã de domingo, a situação parece ter ficado mais calma, mas o desrespeito no trânsito ainda pode ser flagrado, já que não há como isolar toda a pista com os cones. Alguns motoristas mal educados insistem em aproveitar o espaço existente entre o último cone e a rótula para trocar de pista. “Ontem [domingo] havia um policial militar aqui e o pessoal não se passava, mas hoje, o PM já não está aqui e alguns motoristas ainda cortam caminho”, relata o vendedor de uma loja de calçados, que acompanha o movimento do local diariamente. De acordo com a PM, 52 autos de infração de trânsito foram lavrados contra motoristas que “transitaram sob marca de canalização” na avenida Henrique Veras do Nascimento. 

Cidade