Conheça o Caminho Brasileiro de Santiago de Compostela em Florianópolis

Sempre sorrindo, falante e caminhando em um ritmo mais lento, mas com disposição e simpatia, a manezinha Kátia Regina Santana, 59 anos, contagiou quem estava por perto durante a abertura do Caminho Brasileiro de Santiago de Compostela, no Norte da Ilha, na última quinta-feira. O trecho de 21 quilômetros, entre Canasvieiras e Ingleses, foi percorrido por cerca de 500 pessoas, de vários lugares do país, e é reconhecido pela Catedral de Santiago de Compostela, na Espanha.

Kátia tem motivos suficientes para celebrar a vida e mostrar que de fato os obstáculos existem para serem superados. Ela sofreu um acidente de moto há dez anos e teve que amputar a perna direita. Com prótese, começou a se preparar para a caminhada há um ano. “Esse momento, para mim, é uma oportunidade de superação. Não tenho uma perna, mas tenho vida e uma prótese que me possibilita fazer esse trajeto. Momento de agradecer e me divertir com meus amigos. Depois dessa, rumo à Espanha”, disse.

Prótese de perna não foi obstáculo para Kátia (de boné azul), que vai percorrer o caminho espanhol em setembro de 2018 - Daniel Queiroz/ND
Prótese de perna não foi obstáculo para Kátia (de boné azul), que vai percorrer o caminho espanhol em setembro de 2018 – Daniel Queiroz/ND

A reflexão de Kátia se deu a cada passo, a cada pedra deixada para trás e a cada momento ao lado dos amigos. “Não temos pressa de chegar, apreciamos cada minuto desse momento. Estou vivendo momentos únicos de introspecção, que enriquecem minha alma e me fazem valorizar cada vez mais a saúde do corpo e da mente. Vou à Espanha em setembro de 2018, tenho tempo para me preparar e continuar me adaptando a prótese”, contou, pedindo licença para continuar o trajeto com os amigos.

Conforme o presidente da Acacsc (Associaçāo Catarinense dos Amigos do Caminho de Santiago de Compostela), João Élcio Trierveiler, o trecho em Florianópolis serve como uma forma de iniciação ao caminho espanhol e pode ser percorrido gratuitamente por qualquer pessoa e em qualquer data. Para ganhar a compostela (documento que comprova a peregrinação e custa R$ 15), é necessário completar no mínimo 100 quilômetros de caminhada, que podem ser iniciados no Brasil e devem ser finalizados na Espanha. “Algumas pessoas fazem só parte do caminho. Isso depende de cada condicionamento físico”, disse.

“Há uma magia nesse lugar”

O caminho brasileiro começa na Igreja Nossa Senhora de Guadalupe, em Canasvieiras, e passa pela Igreja de São Pedro, em Ponta das Canas, praia da Lagoinha, trilha pelo Morro da Feiticeira, Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes, em Ingleses, e termina no Santuário Sagrado Coração de Jesus, também em Ingleses. Quem veio de longe para fazer a caminhada foi o jornalista Gilberto Mansur, 74 anos, e a mulher, a escritora Vivina de Assis Viana, 77 anos. “Soube que São Paulo e Porto Alegre também queriam o caminho, mas não tinha como não ser em Florianópolis. Há uma magia nesse lugar. Uma natureza que mexe com a espiritualidade da gente. Ao caminhar, as inquietações, os desafios, as conquistas, o exercício do ser é testado a todo instante”, disse Mansur.

O jornalista já fez o percurso na Espanha em 2008, e Vivina em 2012. Em agosto, o casal de São Paulo pretende voltar para fazer o caminho em família, com os filhos. “Costumo caminhar mais por uma questão de saúde do corpo, que automaticamente reflete na alma”, salientou Vivina.

O advogado Lúcio Nelson Martins Filho, 63, morador de Jurerê, se prepara para ir à Espanha, em setembro de 2018, e percorrer os quase 800 km do caminho. “Não há como começar de forma melhor, aqui em Florianópolis. Tenho caminhado em torno de 18 quilômetros por semana, me preparando para o caminho de lá. A prática promove reflexão muito importante, é saúde”, destacou.

Caminho espanhol tem diversas opções de percurso

A rota mais tradicional é o chamado Caminho Francês, que começa em Saint Jean-Pied-de-Port, na França, distante 772 quilômetros de Santiago de Compostela, na Espanha. No entanto, por toda a Europa há diferentes trajetos – uns menores, outros maiores –, todos conduzindo ao mesmo destino: a catedral onde está a urna de prata com os restos mortais do apóstolo Tiago.

O peregrino pode optar por percursos menores, começando a caminhada em Pamplona (704 km), Burgos (484 km), León (306 km), Ponferrada (205 km) ou em qualquer outra cidade ou vila ao longo do caminho. Contudo, para ter direito ao certificado de peregrino – a compostela –, precisa caminhar pelo menos os últimos 100 quilômetros, ou seja, a partir de Sarria (115 km).

Outra forma de peregrinar, como fazem muitos europeus, é caminhar por etapas, em intervalos de semanas ou meses, de acordo com a disponibilidade financeira ou de tempo ou disposição física. Além disso, o Caminho de Santiago pode ser feito em três modalidades: a pé, de bicicleta ou a cavalo.

O CAMINHO BRASILEIRO

Início: Igreja Nossa Senhora Guadalupe (rua Madre Maria Vilac, 1.700, Canasvieiras)

Valor: Gratuito. Quem for completar o caminho na Espanha pode comprar com a Acacsc a credencial espanhola para ser carimbada por R$ 15, na igreja Nossa Senhora Guadalupe

Grau de dificuldade: De média para alta

O que usar: É recomendável o uso de botas de trilha, de bastões (cajado) e uma pequena mochila.

O que levar: Água, lanche e frutas

Fazem parte do caminho as seguintes igrejas: Nossa Senhora de Guadalupe (Canasvieiras); Igreja de São Pedro (Ponta das Canas); Igreja de Nossa Senhora dos Navegantes (Ingleses); e Santuário Sagrado Coração de Jesus (Ingleses)

Orientações: O caminho é público e está demarcado com indicações do trajeto a ser seguido, podendo ser percorrido por qualquer pessoa em qualquer época. Para ser reconhecido para obtenção da compostela, o peregrino deverá obter os quatro carimbos junto às quatro igrejas integrantes do trajeto numa credencial oficial.

Cidade