Conheça os tipos de chocolate e saiba como manter o equilíbrio neste período de Páscoa

Os tradicionais ovos de páscoa devem ser consumidos com moderação e de preferência com mais quantidade de cacau do que açúcares e gorduras

Fabricio Porto/ND

Chocolate faz bem à saúde, mas com moderação

A páscoa é data em que os cristãos celebram a ressurreição de Jesus Cristo e o ovo de páscoa, feito de chocolate, é um dos símbolos usados para presentear amigos e familiares neste período. Os ovos de chocolate fazem parte de uma tradição milenar e representam o renascimento. Não é fácil resistir a tantas opções e doces nestes dias. O chocolate rico em cacau traz benefícios, mas se consumido em excesso ou com pouca quantidade de cacau pode fazer mal.

Os mais comuns e consumidos são o branco, ao leite e meio amargo ou amargo. Porém o mais nutritivo é sempre aquele que tem mais cacau, fruto do qual se faz o chocolate. O branco, ao leite e com castanhas, frutas e cremes devem ser evitados, consumidos esporadicamente. Quanto mais macio ou pastoso, mais gorduroso será o doce. As calorias são praticamente as mesmas em todos os tipos, cerca de 130 calorias para 30g (três quadradinhos de uma barra de 180g) de chocolate.

A nutricionista Janaína Sempre Bom, 34, afirma que o consumo ideal é de 30g de chocolate meio amargo por dia. Desta forma, o consumo do doce pode auxiliar em doenças cardiovasculares, na diminuição da pressão arterial e melhorar a resistência à insulina. Além disso, ajuda na liberação endorfina e serotonina, hormônios que dão a sensação de prazer. O consumo excessivo pode desencadear distúrbios gastrointestinais, ganho de peso e diarreia, em casos mais graves pode levar à obesidade e desnutrição.

A dica da nutricionista é consumir os chocolates de Páscoa aos poucos, usar também em caldas de sobremesas, derretido para comer com frutas ou então congelar. Se você não conseguir evitar, deve compensar com alimentos mais leves durante a semana. “É bom não mastigar o chocolate de uma vez só. Deve-se saborear, degustar devagar e deixar o alimento derreter na boca, com isso é possível sentir prazer e comer menos. Quem come muito deve equilibrar com frutas, verduras e saladas”, indicou Janaína.

Quem é diabético também pode aproveitar os chocolates diets. Os celíacos e aqueles que tem intolerância à lactose contam com os produtos feitos com alfarroba. Estes produtos são nutritivos e isentos de lactose, glúten e açúcar. Tem o gosto e aroma semelhante ao chocolate e já pode ser encontrado nos supermercados.

Conheça melhor cada tipo de chocolate

Branco – 25g corresponde em média a 138 calorias

Composição: Basicamente de gordura e açúcar. Na maioria das marcas a gordura é hidrogenada e não há nenhuma ou quase nenhuma massa de cacau

Textura pastosa, pesada. Cor branca, nenhum benefício para a saúde além do prazer.

Ao leite – 25g corresponde em média a 133 calorias

Composição: Açúcar, gordura e leite. Pouca massa de cacau, de 15% a 30% de manteiga de cacau. Textura pastosa, macia. Cor marrom claro, poucos benefícios à saúde.

Meio amargo – 25g corresponde em média a 132 calorias

Composição: em média 54% de massa de cacau, quase nenhuma manteiga, pouco ou nenhum açúcar. Textura mais leve, seca. Coloração mais escura, de marrom a preto.

Amargo – 25g corresponde em média a 132 calorias

Composição: Mais de 55 % de massa de cacau, quase nenhuma manteiga, pouco ou nenhum açúcar. Textura mais leve, seca. Coloração mais escura, de marrom a preto.

Diet – 25g corresponde em média a 110 calorias

Composição: Massa de cacau, gordura e adoçantes artificiais. Textura parecida com a dos chocolates ao leite, indicado para diabéticos.

Chocolates com cremes, nozes, frutas e amêndoas – Tem as mesmas características dos outros, porém ficam mais calóricos dependendo do que é misturado ao chocolate.

Chocolates belgas e suíços – mantém as mesmas características dos chocolates comuns, porém são feitos com produtos de alta qualidade.

Breve história do chocolate

O chocolate surgiu há cerca de mil e quinhentos anos antes de Cristo e vem das civilizações pré-colombianas da América Central. Inicialmente o cacau, fruto do qual se faz o chocolate, era usado como bebida. O chocolate só foi popularizado e explorado da forma como conhecemos hoje, no século 18, com a revolução industrial.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias