Contorno rodoviário de Florianópolis não fica pronto até 2015 aponta estudo da Fiesc

Obra já deveria estar com 25% do traçado executado para que o prazo fosse cumprido

O diretor de relações industriais e institucionais da FIESC (Federação das Indústrias do Estado e Santa Catarina), Henry Quaresma, entregou novo estudo sobre o contorno rodoviário de Florianópolis onde conclui que não será possível cumprir o prazo de 2015 estabelecido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) para que a concessionária da BR-101 execute a obra. Para inaugurar o trecho nesse prazo, 25% do traçado já deveria ter sido executado.

O documento, entregue ao prefeito de Biguaçu José Castelo Deschamps, servirá de subsídio para as próximas ações dos Executivos municipais na defesa da execução da obra. O projeto básico estabelecia a execução do contrato das obras de implantação do contorno rodoviário até fevereiro de 2012 e foi prorrogado, por meio de decisão administrativa da ANTT, para fevereiro de 2015. O trabalho da FIESC questiona o interesse público da postergação das obras, em prejuízo dos usuários, que estão pagando pedágio.

Estatísticas recentes apontam que 160 mil carros passam diariamente pela BR-101, no segmento entre Biguaçu e Palhoça. Estima-se que pelo contorno transitarão 18 mil veículos pesados por dia, aliviando o trânsito na região.

A questão do contorno da Grande Florianópolis foi levantada pela Fiesc em seu estudo sobre o trecho Norte da BR-101, divulgado em dezembro de 2010. O novo estudo, elaborado pela Saporiti Engenharia, foi uma solicitação dos prefeitos da Grande Florianópolis, que preparam estratégias para garantir a execução da obra, prevista no contrato de concessão.

O projeto básico estabelecia a execução do contrato das obras de implantação do contorno rodoviário até fevereiro de 2012 e foi prorrogado, por meio de decisão administrativa da ANTT, para fevereiro de 2015.

Uma nova reunião com lideranças do Estado está programada para esta terça-feira (24) à tarde, em Brasília, na sede da ANTT, para tratar da questão.

Acesse e receba notícias da Grande Florianópolis pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias