Convidar pessoas para comer deve ser um prazer, mas é muito fácil que a ocasião seja um suplício

Instala-se a falta de respeito à comida, ao cozinheiro e à ocasião. Requentar comida que acabou de ser feita e esfriou pelo atraso de quem deveria degustá-la é pecado que condena ao fogo eterno

Gente alegre reunida com o único objetivo de aproveitar a vida, conversas agradáveis,  tempo bom, cardápio tentador. Perfeito para louvar a vida sem maiores preocupações.

Perfeito, até chegar a hora de servir. Início do suplício: “Vamos à mesa que a comida está pronta”. Começou errado: a comida não pode esperar pelos comensais, mas sim estes pela comida, só que ninguém parece saber disso: “Só mais um pouco, já vou, só quero…” . “Espere, o Fulano foi comprar Pílulas de Vida do Dr. Ross e já volta. Não podemos começar sem ele”.  “Fulana está se arrumando e já vem”.  “Não seja chato, depois a gente esquenta e todo mundo come”. Instala-se a falta de respeito à comida, ao cozinheiro e à ocasião. Requentar comida que acabou de ser feita e esfriou pelo atraso de quem deveria degustá-la é pecado que condena ao fogo eterno.

Se já é, no mínimo, constrangedor pelo fato em si, fica bem pior para certos pratos. Acertar o ponto do macarrão, quando em quantidade maior, nem sempre é fácil. Aí dá tudo certo: separadinho,  na consistência correta, molho que não escorre, mas também não é uma gelatina. É só servir-se e, tirando a modéstia do cozinheiro, deliciar-se. E recomeça o suplício: “Vamos sentar, a comida está na mesa”.  E inicia a colação do macarrão, o molho esfria e a macarronada vira marmita mal arranjada. 

Determinadas carnes com molho podem ser solução ou outro problema. Você compra filé mignon de promoção e convida amigos para o suprassumo do mignon ao molho madeira. Capricha na fritura para que a carne fique selada por fora e mal passada por dentro. Um nadinha de forno para absorver o molho e assar bem pouquinho mais para que fique no ponto e agrade à maioria sem ouvir o escândalo: “Ui, esta carne tá crua!”. Depois do décimo “já vai”, desanda tudo e o mignon fica na consistência de palha de milho com molho.

Você que tempera a salada antes para garantir um sabor mais homogêneo. Quando vão comer, o molho já está todo no fundo da travessa e algumas folhas de alface já começam a ficar com aquela cor de “foi de ontem”.

Vou parar de me estressar: macarronada, faço um tanto para mim e como quando estiver pronta. No fogão, deixou uma panela de pressão onde cozinho o restante do macarrão. Que cada um se vire: na panela encontrarão uma espécie de purê de macarrão. Ao menos podem comer quando quiserem, e não quando a comida estiver pronta.  Para cada prato, criarei uma alternativa. É só me enticar.        

Loading...