Corpos de família assassinada em Alfredo Wagner são enterrados no interior do Paraná

Atualizado

Os corpos da família assassinada em Alfredo Wagner na sexta-feira (9), na Grande Florianópolis, foram enterrados no cemitério Bom Jardim, em Marechal Cândido Rondon, no Paraná, no fim da tarde dessa segunda-feira(12).

Família foi morta na sexta-feira (09) – IGP/Divulgação

O velório aconteceu no domingo, às 19h, na Capela Mortuária Marechal no distrito de Bom Jardim. O município paranaense é o local de nascimento de Loraci Matthes.

Entenda o caso

Arno Cabral Filho, principal suspeito do crime, foi até a casa da família na noite anterior ao ocorrido e ameaçou a família com uma arma de fogo. Foi confirmado pela Polícia Civil que Arno Cabral já havia realizado um Boletim de Ocorrência contra Carlos Alberto Tuneu, vítima conhecida como Argentino por ameaça.

O triplo homicídio aconteceu na sexta-feira (09), quando o suspeito discutiu com Loraci Mathes e matou a mulher, e, em seguida, o filho do casal com o objetivo de não deixar testemunhas.

Leia também: 

Conforme a Polícia Civil, Arno Cabral Filho estava saindo da casa e encontrou Carlos Alberto Tuneu, que estava chegando no seu carro. O homem matou o argentino ao lado do veículo.

O IGP (Instituto Geral de Pericia) realizou uma perícia na casa e no carro da família, além de realizar o mesmo trabalho no veículo de Arno, nesta segunda-feira (12)

A equipe encaminhou para a Delegacia de Alfredo Wagner objetos encontrados no veículo e na casa das vítimas, porém não informou quais.

Contraponto

Os advogados Diego Rossi Moretti e Jonas de Oliveira, que assumiram a defesa do indiciado, questionam a velocidade com que foi concluída a investigação. Segundo os defensores, Arno Cabral Filho nega as acusações. Moretti e Oliveira pretendem protocolar pedido de liberdade na próxima semana. Eles se manifestaram por meio de nota. Confira:

A defesa até então não tinha acesso ao inquérito, entretanto, ficamos surpreendido com a velocidade que fora concluído um inquérito de tamanha envergadura. Estamos analisando a denúncia e o inquérito. Buscaremos a verdade real dos fatos para que seja aplicada a mais clara justiça ao nosso cliente.

Salientamos que, ao contrário do que vem sendo veiculado, Arno sempre negou os fatos. Lamentamos que a investigação tenha divulgado informação divergente da realidade e que tem gerado transtorno inenarrável ao acusado e toda sua família. Acreditamos na inocência de nosso cliente, e esperamos que tudo se esclarece o mais breve possível e que a real justiça seja feita.

Polícia