Corpus Christi: celebração religiosa reúne crianças e adultos no Centro de Florianópolis

Atualizado

A produção de tapetes para a procissão de Corpus Christi começou cedo no Centro de Florianópolis, nesta quinta-feira (20), e reuniu participantes de diferentes faixas etárias e mais de 20 comunidades religiosas.

No período da tarde ocorreu a Missa Solene na Catedral Metropolitana, celebrada pelo arcebispo Dom Wilson Tadeu Jönck, com a participação de 71 paróquias. Na sequência ocorreu a procissão. Foram recebidos donativos para o Asilo Irmão Joaquim e a Pastoral do Migrante.

Durante a missa, o celebrante consagra duas hóstias: uma é consumida e a outra apresentada aos fiéis para adoração. Essa hóstia permanece no meio da comunidade, como sinal da presença de Cristo vivo no coração de sua Igreja.

Procissão recebeu milhares de pessoas no Centro de Florianópolis – Flávio Tin/ND

Tradição para todas as idades

Por volta das 7h30, o Largo da Catedral já contava com a presença de crianças ansiosas para os preparativos. Sem receio de sujar as mãos, os pequenos rodeavam os tapetes e, com atenção, seguiam as orientações dos mais velhos.

Davi Preima, de nove anos, comentou que o mais legal, para ele, era a decoração dos tapetes. O menino veio acompanhado dos dois irmãos, de nove e dois anos, e da mãe, Joelma Lima Preima, de 39 anos.

“Sou católica desde pequena, fui criada na igreja com a minha mãe, que era catequista e foi uma educação que me ensinou muita coisa, me passou valores. Sou grata a tudo que recebi dos meus pais e quero passar isso para os meus filhos”, relata Joelma.

Davi Preima, o irmão menor e um amiguinho confeccionam os tapetes para o Corpus Christi- Anderson Coelho/ND

A família, que mora no Centro, participou pela primeira vez da confecção dos tapetes e se surpreendeu com o ambiente acolhedor e cooperativo.

“Acordamos cedo porque as crianças estavam empolgadas. Tem um monte de gente que você não conhece aqui, mas todos se ajudam, isso é uma verdadeira festa de Deus.”

As amigas Heloíse Pereira da Luz e Nikolle Rodniski de Siqueira, ambas de 15 anos, frequentam a Crisma na Catedral e estiveram presentes pela segunda vez na celebração.

“É uma experiência muito boa decorar os tapetes, participar da produção e ver que, no final, tudo fica bonito”. Segundo Heloíse, os desenhos são escolhidos em uma reunião com os coordenadores, enviados a uma gráfica, que faz a impressão em tamanho grande, recortados e posicionados no chão.

“É como se fosse um quebra-cabeça gigante”, brinca Nikolle.

Nikolle de Siqueira e Heloíse Luz participam pela segunda vez da celebração – Anderson Coelho/ND

Lucas Nunes Roncalio, de 18 anos, é natural de Fortaleza, mas mora em Itajaí há um ano. Ele conta que veio para Florianópolis já na sexta-feira para participar desde cedo na confecção dos tapetes no Largo da Catedral.

“É o meu primeiro ano na produção, nunca tinha feito antes porque onde eu morava não tinha essa cultura. Aqui eu sinto que realmente estou servindo ao Senhor.”

Moradora da Tapera e frequentadora da paróquia do Ribeirão da Ilha, Rita de Cássia de Medeiros, de 67 anos, participa da produção dos tapetes no Centro há 20 anos.

“Nós vemos crianças e jovens ajudando, é uma alegria muito grande vermos que, a cada ano que passa, eles se animam mais para participar”.

Dona Rita de Cássia participa há 20 anos da produção dos tapetes – Anderson Coelho/ND

Dona Olinda Fonseca, que participa há 18 anos da celebração do Corpus Christi, revela que vem observando mudanças na tradição ao longo dessas quase duas décadas.

“A gente vai pegando mais prática a cada ano que passa e os tapetes ficam cada vez mais bonitos”, garantiu a coordenadora do apostolado da Catedral.

Painel de 50 metros

A celebração contou, ainda, com o painel “Marcas da Devoção”, confeccionado em 50 metros de lona pela artista plástica Beatriz Wolff Harger Silveira. A obra levou dois anos para ficar pronta, e as pinturas foram baseadas nos tapetes executados desde 2009, quando a artista iniciou o projeto.

Da janela do seu ateliê, ao lado da praça 15 de novembro, Beatriz registrou todo o processo de produção dos tapetes ao longo desses anos.

“Eu já tinha fotografias, vídeos e pinturas próprias que fiz baseadas nos tapetes, mas eu queria ter um registro que fosse além de uma filmagem. Queria ter algo que tivesse a presença de cada pessoa.”

Segundo ela, o final da procissão deixa vestígios que lembram um quadro abstrato. “Depois que as pessoas passam, as marcas ficam, então é como se todos tivessem produzido um pouquinho do painel”.

A artista plástica Beatriz Wolff Harger Silveira observa desde 2009 a produção dos tapetes – Anderson Coelho/ND

A ideia é chamar a atenção para a celebração religiosa e contribuir para a revitalização do entorno da praça.  Após a procissão no Centro, o painel será levado à Capela do Colégio Catarinense para a missa das 18h30.

Alterações no trânsito

As ruas no entorno da Praça 15 de Novembro foram fechadas para a confecção dos tapetes. A Guarda Municipal fez a orientação de motoristas pela região e informou sobre as rotas alternativas. Segundo a prefeitura, o trânsito da rua Arcipreste Paiva foi desviado para Vidal Ramos. Viaturas da Polícia Militar fizeram a segurança do local.

O trânsito da rua Frei Caneca também foi desviado para a celebração do Corpus Christi – PMF/Divulgação

Houve desvios também na marginal da avenida Beira-Mar Norte, na altura da praça Amaro Seixas Neto e na rua Frei Caneca, no bairro Agronômica. Os fechamentos foram realizados em função da procissão e da produção dos tapetes da paróquia São Luis.

Tradição

A festa de Corpus Christi é feita na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Também em alusão à Quinta-feira Santa, quando se deu a instituição deste Sacramento.

A procissão pelas vias públicas atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico que determina ao bispo diocesano que a providencie onde for possível, como forma de “testemunhar publicamente a adoração e a veneração para com a Santíssima Eucaristia”.

“Corpus Christi tem a ver com a presença de Deus no mundo, aquilo que celebramos no Natal”, disse Dom Wilson, arcebispo de Florianópolis, que chegou cedo ao Centro. “É uma manifestação pública de fé, em que Cristo passa e é acolhido – então fazemos os tapetes bonitos para acolhê-lo”, explicou.

O nome vem do latim e significa “Corpo de Cristo”. Tem como objetivo, celebrar sacramento da Eucaristia. É um dia em que os fiéis tradicionalmente confeccionam os tapetes feitos de flores, serragem, tintas, areais e outros materiais, pelas ruas onde o padre passará com o Sacramento.

Confira a montagem dos tapetes de Corpus Christi em Florianópolis

Confecção dos tapetes de Corpus Christi no Centro de Florianópolis - Anderson Coelho/ND

Confecção dos tapetes de Corpus Christi no Centro de Florianópolis - Anderson Coelho/ND

Produção de tapetes já acontecia às 7h - Anderson Coelho/ND

Produção de tapetes já acontecia às 7h - Anderson Coelho/ND

Representantes de pastorais, movimentos e comunidades participam dos trabalhos - Anderson Coelho/ND

Representantes de pastorais, movimentos e comunidades participam dos trabalhos - Anderson Coelho/ND

As ruas no entorno da Praça 15 de Novembro foram fechadas - Anderson Coelho/ND

As ruas no entorno da Praça 15 de Novembro foram fechadas - Anderson Coelho/ND

Festa de Corpus Christi é feita na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade - Anderson Coelho/ND

Festa de Corpus Christi é feita na quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade - Anderson Coelho/ND

Procissão pelas vias públicas atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico - Anderson Coelho/ND

Procissão pelas vias públicas atende a uma recomendação do Código de Direito Canônico - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi vem do latim e significa “Corpo de Cristo” - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi vem do latim e significa “Corpo de Cristo” - Anderson Coelho/ND

Trabalhos devem continuar por toda a manhã - Anderson Coelho/ND

Trabalhos devem continuar por toda a manhã - Anderson Coelho/ND

Na Arquidiocese de Florianópolis, as 71 Paróquias celebram a Missa Solene, seguida de procissão - Anderson Coelho/ND

Na Arquidiocese de Florianópolis, as 71 Paróquias celebram a Missa Solene, seguida de procissão - Anderson Coelho/ND

Confecção de tapetes movimenta arredores da Catedral Metropolitana - Anderson Coelho/ND

Confecção de tapetes movimenta arredores da Catedral Metropolitana - Anderson Coelho/ND

Crianças, adultos e idosos participam da montagem de tapetes - Anderson Coelho/ND

Crianças, adultos e idosos participam da montagem de tapetes - Anderson Coelho/ND

Data visa celebrar sacramento da Eucaristia - Anderson Coelho/ND

Data visa celebrar sacramento da Eucaristia - Anderson Coelho/ND

Fiéis confeccionam tapetes feitos de flores, serragem e outros materiais - Anderson Coelho/ND

Fiéis confeccionam tapetes feitos de flores, serragem e outros materiais - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi - Anderson Coelho/ND

Missa está marcada para as 15h, na Catedral Metropolitana - Anderson Coelho/ND

Missa está marcada para as 15h, na Catedral Metropolitana - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi - Anderson Coelho/ND

Corpus Christi - Anderson Coelho/ND

Confecção dos tapetes de Corpus Christi no Centro de Florianópolis - Anderson Coelho/ND

Confecção dos tapetes de Corpus Christi no Centro de Florianópolis - Anderson Coelho/ND

Geral