Corrida contra o tempo nos preparativos para o Carnaval de Florianópolis

Atualizado

A duas semanas para o desfile oficial das escolas de samba de Florianópolis, marcado para o dia 2 de março, na passarela Nego Quirido, as agremiações correm contra o tempo. Nas quadras e barracões, funcionários trabalham dia e noite para concluir a montagem dos carros alegóricos e a confecção das fantasias.

No espaço destinado à produção das alegorias, na Nego Quirido, as equipes de quatro das seis escolas do Grupo Especial estão a todo vapor. Soldagem das ferragens, construção do madeiramento e decoração dos carros são as principais atividades nesta reta final de preparativos.

Na próxima semana, as escolas deverão tirar seus equipamentos do local de produção e leva-los para o espaço localizado ao lado do CentroSul, destinado à concentração para início dos desfiles. Quem não tiver terminado as montagens, terá de concluir neste novo local.

Consulado do Samba

O carro abre-alas está praticamente pronto. Falta apenas concluir a decoração, que está a cargo de uma equipe de cinco pessoas vindas de Parintins (AM). Mas todo o trabalho envolve cerca de 20 pessoas, além de agregar o pessoal da comunidade nos fins de semana. Segundo Luciano Alves, diretor de harmonia e alegoria, os carros têm cerca de 12 metros de comprimento por 12 metros de altura, além de conter dois bonecos de 10 metros de altura, um em cada carro, representando o Homem de Lata, personagem do Mágico de Oz.

Preparação do Consulado do Samba - Marco Santiago/ND
Preparação do Consulado do Samba – Marco Santiago/ND

Alves revela que o segundo carro será bastante colorido e trará a Velha Guarda na parte de baixo e as alas nos lados e em cima. Mas o equipamento ainda está nas ferragens, deve ser concluído na próxima semana. Já a confecção de fantasias deve terminar no dia 28, conforme estimativa do coordenador de Fantasias e Adereços, Alex Ramires da Silva.

A Consulado também homenageia João Victor Loch e Tatiana Lessa, cuja história será retratada pelo carnavalesco Raphael Soares. Ele lembrará a história de Tatiana, que perdeu 30 quilos em 2014 para poder doar parte do fígado ao menino que sofria de câncer. Os dois desfilarão à frente da ala “O amor que se doa é o amor que cura”.

Ficha técnica

Nome: Consulado do Samba
Fundação: 5 de maio de 1986
Bairro: Saco dos Limões
Cores: Vermelho e branco
Símbolo: Um pandeiro
Presidente: Márcio Pires
Samba-enredo 2019: “Onde o amor sempre será rei”

Copa Lord

Campeã em 2018, a Copa Lord sairá com três carros, com foco no enredo “O mestre-sala do céu”, que homenageia seu ex-mestre-sala, Carlos Alberto de Maria, o Seu Terry. Morto em 10 de janeiro de 2017, aos 70 anos, Terry foi um dos principais mestres-salas do Carnaval catarinense e criou, no Morro da Caixa, uma escolinha de mestre-sala e porta-bandeira que ensinou esse quesito a várias gerações.

Copa Lord - Marco Santiago/ND
Copa Lord – Marco Santiago/ND

O primeiro carro alegórico é o abre-alas e está com o madeiramento finalizado. Falta apenas a decoração, que deve ser concluída na terça-feira (19). O segundo está apenas nas ferragens e o terceiro só começará a ser montado na semana que vem. Segundo Jefferson William da Costa, o Negro Jê, cidadão-samba “hors concours” e que também é responsável pela confecção das alegorias, o mau tempo deve atrasar um pouco essa etapa. “Tem muito serviço e com essa chuva não dá para soldar, porque está tudo molhado. São dias de trabalho que a gente perde, mas vamos dar conta. Acredito que terminaremos uns dois dias antes do desfile”, avalia.

Um dos quesitos que envolve a confecção de fantasias, segundo o carnavalesco William Tadeu, é a harmonia, que não diz respeito apenas à evolução dos dançarinos na avenida e à musicalidade, mas também às vestimentas dos componentes. Ela envolve desde o desenho dos croquis, que são os esboços das fantasias, até a confecção. “São várias especialidades envolvidas e tudo isso precisa formar um conjunto harmonioso no final, para que haja um bom desfile”, disse.

Ficha técnica

Nome: Embaixada Copa Lord
Fundação: 25 de fevereiro de 1955
Bairro: Morro da Caixa – Monte Serrat, Centro
Cores: Amarelo, vermelho e branco
Símbolo: Cartola e bengala negras, um par de luvas brancas e uma carta de copas
Presidente: Josué da Costa
Samba-enredo 2019: “O mestre-sala do céu”

Dascuia

A terceira colocada no Carnaval 2018 traz no enredo uma homenagem ao estilista catarinense Gesoni Pawlick, morto em 2017. Na alegoria, elementos da criação de Pawlick como o pierrot, a colombina e o arlequim, e até referências a um baile de máscaras vão compor os carros da escola.

Conforme o responsável pela alegoria, Fábio Martins de Souza, a escola levará dois carros e 22 alas para a passarela. “O primeiro carro será uma carruagem, com a parte de cima representando o palco de um teatro, com 12 pessoas. O segundo, terá dançarinos fantasiados como em um baile de máscaras”, explicou.

Uma equipe trabalha na montagem, feita em frente à passarela. Enquanto os bonecos são montados, os carros estão com as ferragens praticamente prontas. “Costumamos colocar o madeiramento só na semana do desfile, para evitar que empene. A decoração dos carros já está pronta no ateliê da escola e também será aplicada na última semana, com os carros já nos boxes da concentração. E 90% das fantasias estão concluídas”, informou Souza.

Dascuia prepara os destaques da decoração de carros alegóricos na Passarela Nego Quirido - Marco Santiago/ND
Dascuia prepara os destaques da decoração de carros alegóricos na Passarela Nego Quirido – Marco Santiago/ND

Ficha técnica

Nome: Dascuia
Fundação: 22 de fevereiro de 2004
Bairro: Morro do Céu, Centro
Cores: Verde e rosa
Símbolo: Dois leões e uma coroa
Presidente: Altamiro José dos Anjos Júnior
Samba-enredo 2019: “Com que roupa eu vou? Ao mundo encantado de Gesoni Pawlick”

Nação Guarani

A agremiação de Palhoça conta com 1.100 integrantes e levará apenas um carro alegórico para a passarela, que será bem colorido, de acordo com o enredo – boi caprichoso -, com 12 destaques que representarão a cultura amazonense. A montagem será feita na passarela, mas ainda não começou, pois a escola aguarda a verba da Prefeitura de Palhoça, que deve ser liberada na semana que vem, segundo o coordenador de bateria Marcos Antônio Macedo Júnior. O mesmo acontece com as fantasias, confeccionadas por voluntários, e que estão à espera da verba para comprar materiais necessários. “Vai ser corrido, porém estamos confiantes que dará tempo”, disse.

Ficha técnica

Nome: Nação Guarani
Fundação: 15 de setembro de 2011
Bairro: Caminho Novo, Palhoça
Cores: Azul, branco, vermelho, laranja, amarelo, verde e violeta
Símbolo: Cabeça de índio com cocar
Presidente: Sidney Maykot
Samba-enredo 2019: “Guarani sou teu povo, sou Nação, sou Caprichoso…”

Protegidos da Princesa

Aos 70 anos de existência, a mais antiga escola de samba de Santa Catarina e que mais vezes foi campeã do Carnaval de Florianópolis, pretende “botar a princesa pra brilhar” e brigar pelo título. Consagrada como vice-campeã em 2018, a Protegidos conta com 1.400 componentes e monta duas alegorias em barracão próprio, no  Itacorubi. Serão 17 integrantes em cada carro. Segundo o presidente e diretor-executivo da escola, Marcelo Domingos, a montagem está bem adiantada e deve ser finalizada na passarela. “A ideia é terminar tudo pelo menos cinco dias antes do desfile. No dia 26 vamos levar os carros para a passarela e finalizar a decoração lá”, contou.

A confecção das fantasias foi terceirizada para equipes em diferentes pontos da cidade, como o bairro Tapera, e Palhoça e São José. “Estamos na fase final da confecção e teremos vários pontos altos no desfile, com destaques especiais na bateria e na comissão de frente. De forma compacta, a escola pretende fazer uma excelente apresentação, representando os orixás”, disse.

Ficha técnica

Nome: Os Protegidos da Princesa
Fundação: 18 de outubro de 1948
Bairro: Morro do Mocotó, Centro
Cores: Verde, vermelho e branco
Símbolo: Uma coroa
Presidente: Marcelo Domingos
Samba-enredo 2019: “Xirê – A festa dos orixás”

Unidos da Coloninha

Campeã em 2017, a Coloninha quer voltar a brigar pelo título este ano. De acordo com um dos carnavalescos, Ademir de Oliveira Júnior, a escola vai desfilar com cerca de 2.200 integrantes que vão relembrar a história de Balneário Camboriú, desde a colonização aos dias atuais. “Começamos com a representação dos índios no abre-alas, primeiros habitantes, passando pela colonização açoriana e elementos religiosos. Na segunda alegoria mostramos elementos náuticos, fazendo referência à praia e aos transatlânticos”, explicou.

Coloninha traz elementos da história de Balneário Camboriú nos carros e no enredo - Marco Santiago/ND
Coloninha traz elementos da história de Balneário Camboriú nos carros e no enredo – Marco Santiago/ND

O segundo carro terá o dobro do tamanho do abre-alas e deve ficar pronto primeiro, mas a fase final da decoração deve contar com reforço de pessoal. “Devemos ter umas 20 pessoas na reta final”, disse.

A confecção das fantasias está a pleno vapor. “Sempre terminamos nos minutos finais do desfile, mas este ano estamos um pouco mais adiantados e acredito que vamos finalizar pelo menos dois dias antes”, estimou Ademir.

Ficha técnica

Nome: Unidos da Coloninha
Fundação: 10 de janeiro de 1962
Bairro: Estreito
Cores: Verde, azul e branco
Símbolo: Aperto de mãos, representando a união das raças
Presidente: Júlio Valmir Martins
Samba-enredo 2019: “Entre matas, sol, mar e areia, surge a Dubai brasileira

#carnavalnaRIC