CPI da Propina de São Carlos entregará documentos ao Ministério Público

O relatório foi elaborado pela Comissão Parlamentar de Inquérito durante 60 dias e concluiu que há indícios de cobrança de propina por parte do prefeito Élio Godoy de São Carlos. A discussão de agora é se o relatório deve ou não ser entregue ao Ministério Público para dar base às investigações da Justiça. A primeira CPI do município gerou expectativas à população, que lotou o auditório da Câmara de Vereadores.

Cada um dos nove vereadores tiveram espaço para expor opinião em relação ao relatório final da CPI da Propina, que investigou as ações de gabinete do prefeito Élio Godoy, depois da publicação de um vídeo na internet que mostrava o prefeito recebendo uma quantia em dinheiro do empresário Sandro Willinghoefer. Na sessão desta segunda-feira (10), a pauta foi a votação do relatório final da CPI. Caso fosse favorável, o relatório seria entregue ao Ministério Público.

Arquivo/ND Oeste

No vídeo o prefeito aparece recebendo dinheiro do empresário

O presidente da Câmara de Vereadores, Guido Brutcher, tornou público o resultado da votação. Foram três votos contra e cinco votos a favor. Os três votos contrários foram de Pedro João Royer, Cleomar Weber Kuhn e da própria presidente da CPI, Siumara Balbinott.

O prefeito não quis gravar a entrevista, mas disse que a CPI foi apenas um ato político. Ele disse ainda que o documento que será entregue ao Ministério Público não muda em nada a investigação que acontece no Departamento de Investigação Criminal (DIC) de Chapecó.

Divulgação/ND Oeste

Foram três votos contra e cinco a favor

Com informações de Beatriz Cerino e Roberto Bortolanza/RIC TV Chapecó

Política