Criança desaparecida de Joinville há dois anos é encontrada no MS

Atualizado

Mais de dois anos se passaram desde que Ágatha Nunes foi levada pela mãe, Indiamara Nunes, sem que o pai, Douglas Rodrigues, soubesse. A guarda da menina, que tinha seis anos à época, era compartilhada, mas a mãe buscou a filha na escola e desapareceu. O pedido de guarda exclusiva do pai foi deferido dias após o desaparecimento.

Ágatha foi encontrada em cidade que faz divisa com o Paraguai – Foto: Arquivo Pessoal

O ano era 2018 e, desde então, o nome de Ágatha constava no cadastro nacional de crianças desaparecidas. A Polícia Civil investigava o caso, mas não havia pistas do paradeiro da menina.

No entanto, nesta sexta-feira (22), a garota foi encontrada em Coronel Sapucaia, no Mato Grosso do Sul. A cidade faz divisa com o Paraguai. A operação para resgatar Ágatha foi uma ação em conjunto entre a Polícia Civil e Militar da cidade e teve o apoio ainda da Dpcami (Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso) de Joinville, que investigava o caso.

Ágatha completa 9 anos em julho e pai viajou para buscá-la dois anos após desaparecimento – Foto: Arquivo Pessoal

No dia em que Ágatha foi levada, a mãe havia a buscado na escola na semana em que deveria ficar com ela e desapareceu. As investigações da Polícia Civil apontaram a premeditação do crime. Indiamara vendeu o carro antes de desaparecer.

A mãe foi presa por subtração de incapaz nesta sexta-feira e Ágatha foi encaminhada ao Conselho Tutelar. O pai viajou até a cidade do Mato Grosso do Sul para encontrar a filha.

Leia também:

Sem notícias da filha há dois anos, pai joinvilense mantém esperança de reencontrá-la

Mais conteúdo sobre

Polícia