Criança que ficou gravemente ferida em acidente na BR-470 deixa hospital

Atualizado

Deixou o Hospital Regional Alto Vale de Rio do Sul o menino de seis anos que ficou gravemente ferido no acidente que matou quatro pessoas na BR-470, em Apiúna

As duas meninas, de 4 e 9 anos, morreram no local do acidente – Foto: Divulgação/Bombeiros Voluntários de IbiramaA colisão frontal entre um Fox com placas de Penha e um Vectra de Erechim aconteceu no dia 21 de dezembro. Emanuelly Ribeiro, de 4 anos, e Gabriely Ribeiro, de 9, morreram na hora.

Leia também

As outras quatro pessoas que estavam com as meninas dentro do Vectra, três homens de 29, 30 e 43 anos e um menino de seis, foram encaminhadas em estado grave a hospitais da região.

O menino recebeu alta do hospital. A unidade, porém, não informou a situação da criança e nem o dia exato em que ela saiu da internação.

Quatro mortes

O condutor do Fox, Rogério Morló, 45 anos, morreu no dia 25 de dezembro em um hospital de Ibirama. A esposa dele, Andreia Morló, 41, morreu no domingo (12) no Hospital Santa Isabel.

Os pais de Rogério, um idoso de 68 anos e uma idosa de 63, também tiveram ferimentos graves.

O acidente

O acidente aconteceu na BR-470, na localidade de Ribeirão Carvalho, em Apiúna, no Vale do Itajaí.

De acordo com o bombeiro voluntário de Ibirama, John Kenedi, ao que tudo indica ao menos cinco ocupantes do Vectra estavam sem cinto. As meninas, que deveriam estar em uma cadeirinha e banco elevado, tampouco estavam sobre os equipamentos.

Com o impacto, ambas foram arremessadas sobre o capô do carro:

“Uma criança de um ano, quando é projetada, já pode matar um adulto. A superlotação contribuiu para que eles estivessem sem cinto e isso sim contribuiu para os óbitos”, lamentou o auxiliar de chefe de socorro.

Trânsito