De Antonieta de Barros à saga do cangaço, conheça os enredos do Carnaval 2020

Atualizado

Carnavalesca Raphaela Perrut já está nos preparativos para o desfile da União da Ilha da Magia, sobre o mago do teatro Valdir Dutra – Foto: Anderson Coelho/ND

A pouco mais de cem dias do Carnaval 2020, as dez agremiações da Grande Florianópolis se preparam para o espetáculo que será apresentado na passarela Nego Quirido. O desfile das escolas de samba do ano que vem irá contar diversas histórias e trazer diferentes culturas para a avenida, com enredos que vão desde o Cangaço até as sabedorias ancestrais africanas.

A atual campeã, Consulado, irá homenagear a jornalista, professora e política florianopolitana Antonieta de Barros. O carnavalesco da escola, Raphael Soares, diz que falar de Antonieta é fazer um resgate da história de Florianópolis e reverenciar uma figura importante na história não só de Santa Catarina, mas também do Brasil.

“O título ‘Lute como Antonieta’ surgiu depois das manifestações em prol da educação porque todo mundo pode lutar como ela lutou por igualdade e, principalmente, pela educação”, explica Raphael.

Leia também:

Outro ilhéu que terá sua história contada na passarela é Valdir Dutra. A União da Ilha da Magia fará um resgate da trajetória do mago do teatro infantil em Santa Catarina. Segundo o carnavalesco Jaime Cezário, o enredo foi uma sugestão da diretoria da escola. “Valdir Dutra é um patrimônio da cidade e do Estado de Santa Catarina. É uma figura ímpar. O Brasil inteiro deveria conhecer esse amor e dedicação à cultura e, principalmente, à produção de peças infantis”, defende Jaime.

A responsabilidade de tirar o enredo ‘Era Uma Vez… Valdir Dutra, o mago do teatro infantil’ do papel é da carnavalesca de execução Raphaela Perrut, professora e uma das primeiras mulheres com o título de carnavalesca na Capital. Em seu ateliê, ela já está trabalhando nos protótipos das fantasias que serão utilizadas no desfile. “Estamos retirando a criação do papel. É a parte maior do carnaval, que envolve todos os figurinos, a produção nos barracões”, explica.

O sacerdote das comunidades

As homenagens continuam no enredo da Embaixada Copa Lord, ‘Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça: Vilson Groh, o sacerdote das comunidades!’, que irá falar sobre a dedicação do padre às comunidades de Florianópolis.

“Se fazia necessária uma homenagem ao padre Vilson Groh, um homem que transformou a comunidade do Monte Serrat e muitas outras do maciço do morro da cruz com sua bondade”, justifica o carnavalesco Paulinho Trindade.

Declarando seu amor pela comunidade na qual foi criada e pela área continental de Florianópolis, a Coloninha apresenta ‘Sou tripeiro com muito orgulho. Prazer, Sou a Gigante do Continente!’, do carnavalesco Otávio José de Oliveira Neto, conhecido como Duda.

O enredo remonta a história da Capital catarinense e dos bairros da área continental da cidade, desde a chegada de seus primeiros habitantes até os dias atuais. “É uma forma de homenagear o Continente, sua história, suas lendas e contar as curiosidades do nosso chão, onde a escola tem sua sede”, conta Duda.

Uma homenagem à luta das mulheres negras

Já o enredo ‘Yalodês – Reflexos de Oxum’, da Dascuia, tem como objetivo honrar a luta das Yalodês, mulheres negras que lutaram, lutam e ainda irão lutar por mais direitos e igualdade. “Esse enredo foi escolhido como uma forma de homenagear ainda em vida a matriarca da escola Dona Valdeonira dos Anjos, que sempre foi referência para toda a comunidade do Morro do Céu”, conta a diretora de carnaval da Dascuia, Vera Susi.

O texto exalta as mulheres negras que marcaram a história e a sabedoria ancestral do povo negro.

A professora e carnavalesca Kris Regina de Souza, a Kika, trabalha no desfile da Nação Guarani, que irá levar para a avenida a transformação do lixo em arte – Foto: Anderson Coelho/ND

O tema também está presente no enredo da Nação Guarani, de Palhoça. A escola lança um novo olhar sobre o consumo com ‘Sabedoria ancestral: O Ecoar de uma Nação Transforma Lixo em Criação’. “Que criação é essa? É pegar toda essa gama de materiais que está na natureza e transformar em arte. Para fazer isso, a gente vai usar sabedorias ancestrais de várias etnias – africanas, indígenas, árabes – que vão aparecer no contexto do enredo”, explica a professora e carnavalesca Kris Regina de Souza, a Kika. A inspiração para o enredo veio de seu sogro, Cacae, que também era carnavalesco.

Saga do cangaço

A Protegidos da Princesa traz o enredo ‘O Último Baile do Cangaço’, de José Alfredo Beirão Filho e Edmundo Meira Neto, sobre o cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião. De acordo com José, a inspiração surgiu do livro ‘Decker’, sobre a saga do cangaço no sertão nordestino. “O enredo trata de uma visão geral do bando de Lampião e os últimos dias do cangaço. Numa viagem imaginária, uma festa para São Pedro acontece em uma fazenda no interior de Pernambuco quando Lampião e seu bando chegam de surpresa não para atacar mas sim para dançar, comer e festejar”, conta o carnavalesco.

Grupo de acesso

‘O Estandarte do Sanatório Geral Vai Passar’, do Acadêmicos do Sul da Ilha, faz alusão à música ‘Vai Passar’, do compositor, intérprete, poeta e escritor Chico Buarque. Segundo a escola da comunidade da Tapera, o enredo remete à Ditadura Militar instaurada no Brasil em 1964 e busca refletir sobre o passado do Brasil e a política atual do país.

A escola Jardim das Palmeiras, de São José, presta homenagem à Liberata, escrava que viveu em terras catarinenses durante o século 18 e conquistou sua liberdade na Justiça. ‘Liberata, uma história de resistência que inspira liberdade’ irá apresentar o contexto de luta não só da mulher que dá nome ao enredo, mas também de outras mulheres negras catarinenses que lutaram e lutam por um futuro melhor.

A Império Vermelho e Branco também enaltece a luta das mulheres negras com o enredo ‘Pérolas Negras, Mulheres Guerreiras!’. A escola do bairro Pantanal convida à uma viagem no tempo, fala sobre a força dos ancestrais africanos e conta a história de personagens como Xica da Silva e Dandara dos Palmares, companheira de Zumbi.

Os enredos:

Consulado

Fundada em: 1978
Localidade: Saco dos Limões
Cores: vermelho e branco
Enredo: Lute como Antonieta
Presidente: Rafael Ferreira
Carnavalesco: Raphael Soares

Embaixada Copa Lord

Fundada em: 1955
Localidade: Morro da Caixa
Cores: amarelo, vermelho e branco
Enredo: Bem aventurados os que têm fome e sede de justiça: Vilson Groh, o sacerdote das comunidades!
Presidente: Armando de Souza
Carnavalesco: Paulinho Trindade

Unidos da Coloninha

Fundada em: 1962
Localidade: Coloninha
Cores: verde, azul e branco
Enredo: Sou tripeiro com muito orgulho. Prazer, Sou a Gigante do Continente!
Presidente: Júlio Valmir Martins
Carnavalesco: Otávio José de Oliveira Neto

Os Protegidos da Princesa

Fundada em: 1948
Localidade: Morro do Mocotó
Cores: verde, vermelho e branco
Enredo: O Último Baile do Cangaço
Presidente: Luiz Carlos Nunes
Carnavalesco: José Alfredo Beirão Filho

Dascuia

Fundada em: 2004
Localidade: Morro do Céu
Cores: verde e rosa
Enredo: Yalodês – Reflexos de Oxum
Presidente: Maurício dos Anjos
Comissão de carnaval: Layone Ventura, Marco Henrique Toscaro, Valmir Pedro da Silva, Tadeu Stangherlin e Fábio Martins

Nação Guarani

Fundada em: 2010
Localidade: Palhoça
Cores: azul, branco, vermelho, laranja, amarelo, verde e violeta
Enredo: Sabedoria ancestral: O Ecoar de uma Nação Transforma Lixo em Criação
Presidente: Lui Vandré da Rosa
Carnavalesco: Kris Regina de Souza

União da Ilha da Magia

Fundada em: 2008
Localidade: Lagoa da Conceição
Cores: verde, branco e ouro
Enredo: Era Uma Vez… Valdir Dutra, o mago do teatro infantil
Presidente: Valmir Braz de Souza
Carnavalescos: Jaime Cezário e Raphaela Perrut

Jardim das Palmeiras

Fundada em: 2005
Localidade: São José
Cores: verde, branco e ouro
Enredo: Liberata, uma história de resistência que inspira liberdade
Presidente: Rennan Inácio
Carnavalesco: Christian Fonseca e Fernando Constâncio

Acadêmicos do Sul da Ilha

Fundada em: 2008
Localidade: Tapera
Cores: azul e rosa
Enredo: O Estandarte do Sanatório Geral vai passar
Presidente: Conrado Laurindo
Carnavalesco: Renan Paskuau

Império Vermelho e Branco

Fundada em: 1990
Localidade: Pantanal
Cores: vermelho e branco
Enredo: Pérolas Negras, Mulheres Guerreiras!
Presidente: Jarrie Sestrem
Carnavalesco: Onziene Furtado

Mais conteúdo sobre

Geral