De bancos a hotéis, confira as atividades que podem ser retomadas em Santa Catarina

Atualizado

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, anunciou a criação de um plano estratégico para a retomada das atividades econômicas em Santa Catarina. A partir de segunda-feira (30), algumas atividades serão autorizadas, porém de forma parcial e com algumas restrições. O decreto deve ser assinado pelo governador nesta sexta-feira (27).

Construção civil e prestação de serviços são algumas das atividades que estão autorizadas – Foto: Ricardo Wolffenbuttel / Secom

Ficam autorizadas parcialmente as atividades em agências bancárias, lotéricas e cooperativas de créditos, a partir de segunda-feira (30). No entanto, apenas para serviços que necessitam exclusivamente de atendimento presencial.

Já a partir da próxima quarta-feira (1°), voltarão a operar as atividades de serviços privados não essenciais como, por exemplo, academias, shopping centers, bares, restaurantes e comércio em geral. Além disso, também está autorizado as atividades do setor hoteleiro, construção civil, escritórios de prestação de serviços em geral e centros de distribuição e depósitos.

Leia também: 

Também está autorizado totalmente todas as atividades de serviços autônomos, domésticos e os prestados por profissionais liberais, a partir de quarta-feira (1°).

O que deve continuar suspenso

Segue suspensa a circulação do transporte coletivo urbano, intermunicipais e interestaduais, pelo prazo de 7 dias, a contar de quarta-feira (1°), ou seja, até o dia 8 de abril. Também continua proibida a circulação de pessoas em praças, parques e em praias para evitar o maior contato de pessoas com coronavírus.

Regras de funcionamento

Os estabelecimentos poderão funcionar com 50% da capacidade de público, podendo estabelecer regras mais restritivas. Além disso, é necessário o controle de acesso e marcação de lugares reservados aos clientes e o controle da área externa do estabelecimento, respeitando a distância mínima de 1,5 metro entre cada pessoa.

Assim também prevê o afastamento, sem prejuízo salarial, de funcionários do grupo de risco como, por exemplo, pessoas acima de 60 anos, hipertensos, diabéticos e gestantes.

Os setores administrativos devem continuar priorizando o home office. As empresas também devem continuar com as medidas para evitar a transmissão do coronavírus no ambiente de trabalho. Os veículos de transporte de funcionários devem operar com 50% da capacidade de passageiros sentados.

Mais conteúdo sobre

#NDtacomvc