De doações à confecção de EPIs: a solidariedade em meio à pandemia no Norte de SC

Atualizado

Em meio à pandemia do coronavírus, um sentimento importante acaba surgindo em meio ao caos: a solidariedade. Gestos, muitas vezes simples, mas que acabam mudando a realidade e trazendo um pouco de esperança às pessoas.

Na região Norte do Estado, iniciativas como confecção de máscaras ou produção de álcool em gel para unidades hospitalares, até a doação de alimentos às famílias afetadas financeiramente com a paralisação dos serviços, mostram que, em um momento de luta, a união faz a diferença.

Sete toneladas de alimentos arrecadadas em Canoinhas

Apesar do isolamento social ser uma das melhores formas de combate ao coronavírus, o cenário também traz incertezas para muitas famílias. Com a paralisação dos serviços, algumas famílias vêm sofrendo dificuldades financeiras para adquirir produtos básicos, como alimentos.

Pensando nisso, uma série de instituições de Canoinhas, no Planalto Norte, se uniram na campanha Ajuda Humanitária. O projeto teve como objetivo arrecadar alimentos, produtos de limpeza e materiais de higiene a essas famílias.

Entre as entidades envolvidas, estão o Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Militar, Prefeitura, Câmara de Vereadores, Defesa Civil Estadual e Municipal, Apae, Universidade e outras instituições que atuam na cidade, além de voluntários.

A arrecadação ocorreu no último fim de semana. Usando máscaras e com a utilização de um carro de som, os voluntários percorreram as ruas e recolheram os produtos.

Alimentos foram entregues às famílias já na segunda-feira (30) – Foto: Moises Gonçalves/Prefeitura de Canoinhas

Na ação, cerca de 7 toneladas de alimentos e produtos foram recolhidas pelas entidades e encaminhadas à Secretaria de Assistência Social de Canoinhas, para que o repasse pudesse ser feito.

Já na segunda-feira (30/3), a secretaria iniciou a distribuição. Cerca de 400 famílias serão beneficiadas com a ação.

Estádio João Marcatto arrecadará alimentos para doações às famílias carentes – Foto: Juventus/mídiasocial

Os gramados ganham espaço para solidariedade

Nos últimos meses, os gramados do estádio João Marcatto, em Jaraguá do Sul, deram espaço aos gritos apaixonados da torcida do Juventus que vibrou a cada lance do campeonato catarinense. Mas, desde quarta-feira (1), o torcedor ganhou uma nova responsabilidade com o Moleque Travesso.

O time lançou a campanha Drive-Thru Solidário, uma ação em prol às famílias que estão passando por algum tipo de dificuldade por conta da pandemia de COVID-19. A ideia surgiu como uma forma de ajudar a comunidade que sempre apoiou o clube durante toda a sua história.

A ação é simples: basta que a pessoa leve um quilo de alimento não-perecível até o estádio. Uma equipe estará no local para receber as doações, que podem ser realizadas sem que o motorista tenha de sair do veículo.

A entrega dos alimentos pode ser realizada até o dia 10 de abril, entre 7 e 20h. A ação conta, ainda, com o apoio da Prefeitura que fará o repasse dos alimentos às famílias carentes da cidade por meio da assistência social.

Em Jaraguá do Sul, outra iniciativa que visa ajudar no combate à pandemia é a produção de respiradores artificiais que serão doados aos hospitais da região. O objetivo inicial da empresa é fabricar 500 respiradores e a meta é de que a entrega seja realizada na segunda quinzena de maio.

Universidade atua na produção de EPIs para profissionais que estão na linha de frente no combate ao vírus

Em Joinville, várias entidades e instituições vêm pensando em alternativas com o objetivo de ajudar os profissionais que estão na linha de frente ao combate ao coronavírus.

O Centro de Ciências Tecnológicas (CCT), da Udesc (Universidade do Estado de Santa Catarina), por exemplo, se uniu à associação sem fins lucrativos Fab Lab, na produção de cerca de 1.200 face shields, equipamentos de proteção para os trabalhadores que atuam no atendimento de pacientes infectados.

Equipamento será doado a pacientes que atuam na linha de frente ao combate ao vírus – Foto: Udesc/Divulgação/ND

A ideia é fornecer os equipamentos às unidades hospitalares da região. A versão do produto é aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e disponibilizada pelo Fab Lab.

A estrutura da máscara é produzida por impressoras 3D, enquanto os demais componentes, como a viseira de acetado e os elásticos, foram doados e montados por voluntários.

Além da produção das máscaras, os voluntários da Fab Lab também realizam pesquisas para a produção de respiradores mecânicos de baixo custo para auxiliar pacientes em estado grave.

Primeiro lote, de 100 litros, deve ser entregue até o fim de semana – Foto: Udesc/Divulgação/ND

A Udesc também possui outra iniciativa que visa ajudar os profissionais da saúde. Na terça-feira (31), a universidade iniciou a produção de álcool 70% que será destinado ao Hospital Infantil Jeser Amarante Faria e à Maternidade Darcy Vargas. A expectativa é de que 100 litros de álcool sejam entregues no primeiro lote.

Leia também:

Saúde