Defesa de suspeito de feminicídio em Barra Velha alega legítima defesa

Atualizado

A advogada de defesa de Antonio Alves de Jesus, suspeito de matar a ex-mulher em Barra Velha vai entrar com pedido de revogação da prisão do seu cliente sob a alegação de legítima defesa.

O crime, tratado pela polícia como feminicídio, ocorreu no sábado (5), quando Josiane Simer Frago Rodrigues, de 24 anos, foi morta pelo ex-companheiro a facadas. Ele foi preso na quinta-feira (10) na casa de familiares, em Itajaí.

Homem acusado de feminicídio em Barra Velha se apresentou à Polícia e foi preso nessa quinta-feira – Foto: Maikon Costa/RICTV Record/ND

Leia mais:

Segundo a advogada Ângela Cristina Parisotto Andruchechen, o suspeito está arrependido e alega que não sabia até esta segunda (7) que os golpes teriam matado a ex-companheira. De acordo com Antonio, o casal estava separado há cerca de quinze dias e já haviam discutido em outra ocasião, onde a vítima o teria ameaçado com uma faca.

No dia do crime, ambos teriam ido a uma festa de aniversário na condição de amigos, onde teriam bebido. Além disso, Antonio alega que os dois voltaram sozinhos da festa, mas que a ex-mulher o teria chamado até a casa para conversarem, o que acabou gerando uma discussão.

Ainda na versão da defesa, a mulher, então, o teria ameaçado com uma faca e para se defender. Antônio pegou outra faca e deu os golpes. Segundo ele, os dois teriam saído da casa juntos, motivo qual o suspeito achou que a vítima estaria viva.

A advogada deve trabalhar com a hipótese de legítima defesa, pois no entendimento da advogada, o crime não foi premeditado e aconteceu durante a briga.

Mais conteúdo sobre

Polícia