Delegado arquiva B.O do poder público contra morador que sinalizou buracos em rua do Estreito

Após verificar as imagens colhidas pela equipe de investigação da 3ª DP, o delegado Pedro Fernandes Pereira Filho decidiu arquivar a denúncia da Secretaria do Continente de Florianópolis contra o morador que sinalizou com tinta buracos em uma rua do bairro Estreito. O delegado entendeu que não houve crime na ação praticada por Édio Fernandes, 55, no dia 16 de agosto. A secretaria, responsável pelo registro do boletim de ocorrências contra Fernandes, informou que busca um enquadramento na lei municipal a fim de notificar o manifestante.

Flávio Tin/ND

Buracos foram sinalizados com tinta

“Para mim ficou claro que não existiu crime. Por entender que a sinalização dos buracos sirva de alerta aos motoristas e demais usuários das vias achei por bem encerrar o caso e arquivar o processo”, afirmou o delegado. Ao todo, foram circulados 53 buracos. Eles ficam nas ruas Antonieta de Barros, Aracy Vaz Callado, Gersino Silva e Olavo Bilac e a avenida Santa Catarina.

O secretário do Continente, Deglaber Goulart disse que na tarde desta segunda-feira (24) conversará com fiscais da prefeitura para saber como enquadrar Fernandes em um crime contra o município.  “Recomendo que ele apague as marcações”, alertou o secretário. Degaber ainda ressaltou que se alguém cair em um dos buracos sinalizados, o morador será responsabilizado criminalmente e terá de arcar com os prejuízos. “Ele está correndo o risco. Se houver resultado negativo a culpa será dele”, disse, ao reconhecer que existam depressões asfálticas por toda a cidade em razão das obras de manutenção da Casan.   

Mais conteúdo sobre

Cidade