Denarium defende intervenção na Fazenda e sistema prisional por mais 60 dias

O governador eleito de Roraima e interventor federal do Estado, Antonio Denarium, teve uma reunião nesta terça-feira, 11, com o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), sede da transição. Ele veio pedir apoio do próximo governo para controlar a entrada de venezuelanos no país e também acelerar o processo de interiorização dos imigrantes para outros estados. Ele admitiu, no entanto, que tratados internacionais impedem que o Brasil feche a fronteira.

Diante da crise no Estado, Denarium declarou que deve pedir para estender o período de intervenção federal na secretaria da Fazenda e no Sistema Prisional de Roraima por mais 60 dias. A intervenção até 31 de dezembro já foi aprovada pelos conselhos da República e de Defesa Nacional e começou a valer desde a última segunda-feira, 10. A governadora Suely Campos (PP) ficou afastada após a decisão.

Na segunda, o presidente Michel Temer rechaçou declarações de Denarium e disse que a intervenção não vai restringir a entrada de venezuelanos. Hoje, o governador eleito esteve no Planalto e chegou a um acordo para receber repasses ao Estado em torno de R$ 200 milhões. O atual governo já possui projeto de interiorização para transferir venezuelanos, mas Denarium considera insuficiente. Apesar das críticas à imigração, o governador eleito considera a crise fiscal o principal problema do Estado, que considera viver “um caos social e econômico”.

Ele voltou a dizer que a Venezuela decidiu fechar a fronteira com o Brasil, porém afirmou que não possui detalhes sobre o assunto.

(Julia Lindner e Luisa Marini, Brasília)

+

Notícias

Loading...