Deslizamentos na região serrana do Rio de Janeiro matam cinco

Pelo menos 350 pessoas ainda estão desabrigadas. Previsão é que chuva continue

R7/ND

Deslizamentos assustaram região serrana do Rio de Janeiro

A chuva forte que caiu sobre Teresópolis durante três horas na noite da última sexta-feira (6) foi equivalente ao esperado para todo o mês de abril. Cinco pessoas morreram na cidade da região serrana do Rio e cerca de 350 ficaram desalojadas. Segundo o coronel Roberto Silva, secretário de Defesa Civil, choveu aproximadamente 300 milímetros, quando o esperado era apenas cinco milímetros.

“A gente não esperava essa chuva toda. Estava previsto chover bem pouco e, de repente, veio essa água toda, a previsão máxima de chuva para o mês. Para hoje, temos uma previsão de chuva moderada e estamos monitorando a situação na cidade. Agora de manhã, não há mais áreas alagadas. A água já baixou, mas a cidade está muito suja.” O secretário disse também que, na manhã deste sábado (7), será feita a avaliação nas áreas onde houve deslizamento, bem como nas casas que ficam nessas regiões, para verificar se há risco para os moradores.

De acordo com a Defesa Civil municipal, cerca de 350 pessoas estão desalojadas. Elas são levadas para os locais onde há sirenes de alerta, como escolas e associações de moradores. Ao menos 15 pessoas ficaram feridas, mas o número pode chegar a 17, segundo o coronel Silva.

Os bombeiros receberam informações de que um homem que estava em um Fiat Uno desapareceu durante a chuva. O coronel Sérgio Simões, secretário estadual de Defesa Civil e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, informa que o homem e o carro foram encontrados.

A chuva desta sexta-feira durou mais de quatro horas e superou a meta esperada para todo o mês de abril na região serrana. Por volta das 23h desta sexta parou de chover e, segundo a Defesa Civil, não há previsão de que chova nas próximas horas. O centro de Teresópolis foi uma das áreas mais atingidas e vários comerciantes passaram toda a madrugada limpando suas lojas e avaliando o tamanho dos prejuízos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, casas desabaram nos bairros de Santa Cecília e Barroso. Segundo a Secretaria Estadual de Defesa Civil, o sistema de sirenes, que alerta para o risco de deslizamentos e enchentes, foi acionado nos bairros de Perpétuo e Rosário, o que teria diminuído o impacto do temporal e salvado vidas, comentou o prefeito da cidade, Arlei Rosa. “O sistema de sirenes foi fundamental, as comunidades se mobilizaram e deixaram as suas casas, evitando uma tragédia ainda maior.”

Estrada ficou fechada

A serra Rio-Teresópolis chegou a ser totalmente fechada nos dois sentidos por medida preventiva. A pista foi liberada três horas após o fechamento. Sérgio Simões informou que os trabalhos continuam neste sábado. Helicópteros deverão ser utilizados para avaliar a extensão dos danos na região serrana. A distribuição de cestas básicas e o trabalho de limpeza da cidade também devem começar nas próximas horas.

Susto e medo em Nova Friburgo

A cidade de Nova Friburgo, também na região serrana, também sofreu com a forte chuva desta sexta. O transbordamento do rio Bengalas, no centro da cidade, assustou a população, mas não deixou desalojados. Tão logo a chuva cessou o nível das águas voltou ao normal.

A RJ-142, que liga os distritos de Mury e Lumiar, foi parcialmente interditada em razão de um deslizamento e queda de uma árvore.

A região serrana do Rio sofreu com as chuvas em janeiro de 2011, quando cerca de 900 pessoas morreram e outras centenas ficaram desabrigadas.

Acesse e receba notícias de Florianópolis e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias