Dia de depoimentos na Operação Tapete Negro

Os quatro investigados que compareceram hoje ao Ministério Público se recusaram a falar

DIA CHEIO

Hoje quatro “graúdos” da Operação Tapete Negro prestaram depoimento ao Ministério Público. Ou melhor, compareceram na frente do promotor Gustavo Merelles, da Vara da Moralidade Administrativa.

PRESENTES

O ex-presidente da URB, Eduardo Jacomel, pela manhã. À tarde, o vereador Robinho (PSD), o suplente de vereador e assessor do deputado Jean Kuhlmann (PSD), Almir Vieira (PSD) e o ex-secretário de Obras Alexandre Brollo.

NO CENTRO

Os quatro são figuras chaves na investigação, que busca apurar irregularidades em contratos feitos pela Urbanizadora a partir de financiamento do Badesc.

ESTRATÉGIA

Jacomel, Robinho, Vieira e Brollo adotaram a mesma tática que vem sendo empregada até agora pelos demais investigados que já depuseram. Boca calada. Ganham tempo, apostando numa eventual anulação do processo.

 

POSTERGANDO

Esta tática tem irritado o promotor, que começará a chamar os investigados por bloco, para tentar acelerar o processo. Semana que vem é a vez dos vereadores Fábio Fiedler (PSD) e Célio Dias (PR). Conversei com Fábio que disse ainda não ter definido a estratégia para seu depoimento, mas dificilmente será diferente da adotada até agora.

NA CAPITAL

 O ex-prefeito João Paulo Kleinubing (PSD), atual presidente do Badesc, será ouvido entre os dias 15 e 18 de julho. Pediu para que o depoimento aconteça em Florianópolis.

NESTE MÊS

 

Os prazos permanecem o mesmo. O promotor Gustavo Mereles quer concluir o inquérito ainda em julho. Por isto