Dia de negociações entre Sinsej e Prefeitura

Uma reunião na manhã de desta quinta-feira (10) entre representantes do Sinsej (Sindicato dos Servidores Públicos dos Municípios de Joinville, Garuva e Itapoá) com o prefeito Udo Döhler (PMDB), sobre o reajuste salarial dos servidores, dará o tom do encaminhamento a ser decidido na segunda assembleia-geral deste ano da categoria, que ocorre logo mais, às 19h, na Câmara de Vereadores.

De um lado, a Prefeitura alega queda na receita e preocupação com o cumprimento da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), que estipula um “limite prudencial” de 51% nos custos da administração com pagamentos de funcionários. Segundo a Prefeitura, o índice já ultrapassa os 52%. Se o argumento for mantido, o reajuste deste ano estaria comprometido. 

Por outro lado, o Sinsej prega a extinção de mais cargos comissionados como forma de equacionar o problema. Em 2013, logo que assumiu, Döhler extinguiu 212 cargos. Recentemente, anunciou o corte de 100 cargos comissionados. A expectativa é de que o número de comissionados na Prefeitura fique em torno de 400 servidores até o fim deste mês.

Segundo o sindicato, caso não haja um acordo, a tendência é a deflagração de mais uma greve, assim como ocorreu recentemente em Florianópolis, Santo Amaro da Imperatriz e São José.

Na Câmara
A secretária municipal de Saúde, Francieli Schultz, responsabiliza o atraso no repasse de recursos do Estado e da União como complicador da crise na saúde em Joinville. Segundo ela, essa crise atinge todo o país. “A situação é desesperadora para diversos municípios”, comentou Francieli, em sessão ordinária da Câmara de Vereadores na terça-feira (8).

Estado e União
Em pouco menos de 15 minutos, Francieli destacou que o valor investido na área de saúde é de aproximadamente 40% do orçamento municipal. “O mínimo constitucional é 15%”, lembrou. A secretária afirmou ainda que os atendimentos de média e alta complexidades (prestados pelo Hospital São José), deveriam ser uma responsabilidade do Estado ou da União, não do município. A secretária deve voltar à Câmara na próxima semana.

Longa espera
Em rede social, o secretário do Conselho Local de Saúde Boehmerwald, Osni Leopoldo Batista, criticou o atraso naconstrução da nova UBS (unidade básica de saúde), que deveria ter sido inaugurada nesta quarta-feira (9) no bairro da zona Sul. Segundo o município, faltam recursos, e não há previsão para a obra ser entregue. O projeto, agora, dependeria de liberação de emendas parlamentares. “Vai ficar mais complicado”, desabafou Batista.

Projeto
A nova estrutura substituiria a atual, que é alugada, e foi interditada em novembro de 2014. Segundo Osni, nem a licitação foi realizada. O projeto arquitetônico deve ser apresentado na assembleia-geral extraordinária, que acontecerá na próxima terça-feira (15), na Amunesc (Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina).

Transtornos
Enquanto isso, quem precisa de atendimento básico tem de se deslocar até a Policlínica do Floresta. “Muitos dependem de ônibus, mas a única linha que passa próximo é a Nilo Peçanha, com horários reduzidos e demorados”, desabafa Osni.

Divulgação/ND

A Vara de Execuções Penais da comarca de Joinville, sob o comando do juiz João Marcos Buch, promoveu homenagem ao público feminino na terça-feira (8)

Reconhecimento
A Vara de Execuções Penais da comarca de Joinville, sob o comando do juiz João Marcos Buch, promoveu homenagem ao público feminino na terça-feira (8), Dia Internacional da Mulher. O magistrado distribuiu lembranças e flores a apenadas e funcionárias do Presídio Regional de Joinville, bem como a assessoras, servidoras e estagiárias que trabalham no local.

Josi Tromm Geisler/divulgação/ND

Vereadores Rodrigo Fachini (PMDB) e Cláudio Aragão (PMDB) entre integrantes do grupo Pedala Joinville, na manhã desta quarta-feira (9)


Sobre duas rodas
Por iniciativa do vereador Rodrigo Fachini (PMDB), o Movimento Pedala Joinville agora é reconhecido de utilidade pública municipal. Já a lei que institui o selo “Empresa Amiga da Bicicleta” no âmbito do município de Joinville, sancionada pela Prefeitura, é de autoria do vereador Cláudio Aragão (PMDB). Fachini e Aragão aparecem falaram com integrantes do grupo Pedala Joinville, na manhã desta quarta-feira (9), durante o passeio ciclístico em comemoração ao aniversário da cidade.

Aplicação indevida
A 1ª Câmara Civil do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina) confirmou condenação imposta a um banco que desviou R$ 50 mil da conta de um cliente para, por conta própria, fazer aplicação no mercado financeiro sem autorização.

Saldo negativo
A movimentação indevida fez com que o saldo da conta do cliente ficasse negativada. Com isso, além de perder rendimentos, o cliente ainda teve de suportar a incidência de juros sobre a utilização do chamado “cheque nobre”.

Sem anuência
O banco, sem comprovar anuência para a movimentação, foi condenado a pagar danos materiais no valor de R$ 21 mil em benefício do cliente, uma empresa do ramo têxtil do Vale do Itajaí. O desembargador Domingos Paludo, relator do acórdão, manteve a sentença também na parte em que negou supostos danos morais suportados pelo cliente. 

Outorga
A Câmara de Vereadores de Joinville assinou acordo de cooperação técnica com a Câmara dos Deputados para transmitir em sinais de TV e rádio abertos. O convênio foi celebrado hoje, em Brasília, em evento que reuniu representantes do Legislativo de todo o País. Até agora, em Santa Catarina, apenas a Câmara de Florianópolis tinha autorização para transmitir em rede aberta de TV. Blumenau também foi contemplada no acordo. 

Loading...