Dia Nacional de Lutas mobilizou servidores públicos em Florianópolis

Alguns órgãos tiveram atividades paralisadas. Alguns cursos do IF-SC ficaram sem aulas

Marco Santiago/ND

Dérmio Filippi entrega panfletos em frente ao Ticen

Servidores federais de todo o país se mobilizaram nesta quarta-feira (25), no Dia Nacional de Lutas, pedindo melhorias salariais para a categoria. Em Florianópolis, funcionários de diferentes órgãos públicos foram para a rua distribuir panfletos e conscientizar a população sobre as reivindicações dos servidores. No período da tarde, aconteceu ato público em frente ao Ticen (Terminal de Integração do Centro).

O Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) e a PFN-SC (Procuradoria da Fazenda Nacional) paralisaram totalmente as atividades. O IF-SC (Instituto Federal de Santa Catarina) também teve suas atividades afetadas. Alguns alunos ficaram sem aulas em todo o Estado, já que muitos professores aderiram ao movimento. A instituição, no entanto, não fez levantamento sobre o impacto da paralisação.

Os servidores pedem uma política salarial permanente, com correção inflacionária e reajuste de acordo com o PIB (Produto Interno Bruto). De acordo com Dérmio Filippi, que falou em nome do Fórum das Entidades que representam os servidores, há mais de um ano os trabalhadores não recebem reajuste salarial. “Entre os pedidos ainda estão a convenção coletiva com data base fixada no dia 1º de maio e uma lei de greve para os servidores”, completou. Filippi destacou o indicativo de greve da categoria marcado para o dia nove de maio em todo o país.

+

Notícias