Disputa dentro de facção criminosa pode ter causado chacina em Araquari

Atualizado

A investigação para desvendar o que aconteceu na tarde desta sexta-feira (6), em Araquari, no Norte do Estado, já consegue apontar dois desentendimentos envolvendo uma organização criminosa que atua na cidade e que podem ter causado a chacina que deixou cinco mortos e dois feridos.

Pelo menos dois suspeitos teriam sido os responsáveis pela execução – Foto: Ricardo Alves/NDTV

Segundo o delegado Thiago Escudeiro, a área na qual aconteceram as mortes não estaria autorizada pela facção a vender drogas e pelo menos dois dos mortos estariam administrando o comércio de entorpecentes no local.

Além disso, uma das vítimas ocupava um cargo de destaque dentro da facção e, depois de ter sido preso, foi destituído. Agora que estava em liberdade, estaria planejando recuperar o cargo. A ação pode ter sido uma retaliação antecipada à tentativa de voltar à posição de comando. “O novo comando pode ter se adiantado antes que ele conseguisse angariar poder na facção”, diz o delegado.

Escudeiro conta ainda que dois dos mortos já eram alvos de investigação da polícia, que tem informações de que eles estariam desafiando o comando da organização criminosa com a venda de drogas em Araquari.

Suspeitos teriam armado uma emboscada

Ainda de acordo com o delegado, as informações iniciais apontam para uma emboscada. Um casal teria chegado na casa com compras de supermercado e era aguardado dentro de casa.  Quando entraram, os suspeitos atacaram.

Apesar de ainda não ter identificação, o delegado afirma que foram pelo menos dois suspeitos os responsáveis pela ação, mas não descarta a possibilidade de outros dois terem auxiliado na fuga em um veículo.

Ele conta ainda que não há como afirmar se houve confronto sem o laudo pericial, mas em um primeiro momento não reconheceu elementos que apontem troca de tiros. O mais provável é que as vítimas tenham sido pegas de surpresa, sem chance de reação.

Apesar disso, o delegado admite que um deles pode ter tentado reagir. Uma arma foi encontrada no local. “Sobre a arma há duas linhas [de investigação]; uma de que um dos suspeitos a deixou cair na fuga. A outra que pode ser do gerente do ponto, que tentou reagir e não teve tempo”, conta.

A principal motivação do crime, salienta o delegado, foi a disputa de território para o tráfico de drogas.

Leia também:

Cinco pessoas morrem durante ataque a tiros em Araquari

Polícia