Dois são condenados por participação em onda de atentados em Joinville

Fernando José dos Santos Júnior e Erivan Gomes do Nascimento atiraram contra um policial em um posto da PM no bairro Adhemar Garcia

Carlos Junior/ND

Júri foi realizado nesta quinta-feira no Tribunal da Comarca de Joinville

O Tribunal do Júri de Joinville condenou nesta quinta-feira dois integrantes do PGC (Primeiro Grupo Catarinense) que, durante a onda de atentados registrada no Estado em outubro de 2014, atiraram contra o posto policial do bairro Adhemar Garcia.

Fernando Jose dos Santos Júnior, foi condenado a 22 anos, 7 meses e 10 dias de prisão e pagamento de multa pelos crimes de tentativa de homicídio, porte ilegal de armas, receptação de veículo roubado, corrupção de menores e participação em organização criminosa.

Erivan Gomes do Nascimento, foi considerado culpado pelos mesmos crimes, exceto receptação de veículo roubado, e condenado a 21 anos, 7 meses e 10 dias, além do pagamento de multa.  A sentença foi anunciada pela juíza Karen Francis Schubert Reimer, titular da 1ª Vara Criminal, no julgamento que ocorreu no Fórum da Comarca. 

Segundo o processo, eles estavam na carona de duas motos, pilotadas por adolescentes, quando atiraram pelo menos oito vezes contra o soldado Wanderlei José Schappo, que estava em frente ao posto policial. Ele só não foi atingido porque conseguiu buscar abrigo dentro da base.

Na sentença de pronúncia consta que o “crime foi cometido com emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima, porquanto os denunciados a colheram de surpresa, deflagrando os disparos antes que ela pudesse esboçar qualquer reação. Ademais, os denunciados Júnior e Nascimento praticaram a tentativa de homicídio por motivo torpe, porque atentaram contra a vida de um policial militar em represália a atuação da Polícia Militar contra o crime organizado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...