Dossiê sobre o plano de fuga consta que Neném da Costeira está jurado de morte

O relatório sobre a possível fuga do traficante Neném da Costeira para o Paraguai é bastante extenso. Além do plano de fuga, consta no dossiê que a facção criminosa PGC (Primeiro Grupo Catarinense) teria decretado a morte de Sérgio de Souza, 45, que ficou famoso no início de 2000, quando passou a ser o principal expoente do tráfico de drogas em Florianópolis. O dossiê foi elaborado pela Polícia Militar e entregue à juíza da Vara de Execuções Penais de Criciúma, Débora Driwin Rieger Zanin, em 8 de dezembro, um dia após ela ter concedido a primeira saída temporária de sete dias do traficante. Imediatamente ela revogou a decisão.

Neném da Costeira, quando foi condenado a 21 anos em Florianópolis - Flávio Tim/ND
Neném da Costeira, quando foi condenado a 21 anos em Florianópolis – Flávio Tim/ND

Condenado a 39 anos de prisão por tráfico de drogas e homicídio, Neném da Costeira já cumpriu 15 anos da pena total em várias unidades prisionais. Atualmente, está na Penitenciária Sul de Criciúma no regime semiaberto aguardando a progressão para o regime aberto. Se não ocorrer nenhum imprevisto que comprometa a disciplina dele na unidade, Neném da Costeira vai ganhar a liberdade em 2022.

A juíza contou na última quinta-feira (13) que ainda não havia lido todo o dossiê. Mas informou que o relatório começou a ser produzido há muito tempo, desde a prisão no Paraguai em 2007. Consta que o traficante estaria jurado de morte do PGC. Ele teria preterido a facção e se batizou na organização criminosa rival carioca ADA (Amigo dos Amigos). A facção carioca mantém um relacionamento estreito com a paulista PCC (Primeiro Comando da Capital) e uma inimizade mortal com o PGC.

Caso ele ganhe a tão sonhada liberdade, o retorno para seu reduto, no Morro da Costeira, pode se tornar um perigo iminente, pois o PGC já domina, praticamente, todos os pontos de drogas de Florianópolis. Débora não autoriza entrevista com o traficante para não glamourizá-lo. “Ele é um preso exemplar, anda de cabeça baixa na unidade”. Ela lembrou que revogou a decisão porque além da fuga havia informações da contratação de expert para abrir as tornozeleira.

Narcotraficante

Quando ficou forte no tráfico, Neném foi morar no Paraguai, de onde mantinha contatos com narcotraficantes locais. Era do país vizinho que o brasileiro mandava carregamentos de drogas para Florianópolis.

Trezentos quilos de maconha interceptados pela PM no Morro da Costeira traziam o selo de um bebê com uma coroa na cabeça empunhando duas metralhadoras. Abaixo da imagem, as letras N.C. consagravam o glamour do traficante. Na época, a sigla a virou moda e adolescentes da região adotaram um novo corte de cabelo estilizado com as letras N.C.

Débora contou que não sabe se o traficante tem defensor. Por enquanto nenhum advogado se manifestou na decisão que ela voltou atrás. Para a juíza, o traficante deve estar deixando o tempo passar, cumprindo a pena com disciplina exemplar, pra ganhar a liberdade em 2022.

Mais conteúdo sobre

Polícia