Duplicação da BR-280 praticamente parada

Divulgação/ND

Relatório foi apresentado nesta segunda-feira (8), em Jaraguá do Sul, em encontro promovido pela Fiesc em conjunto com o Fórum Parlamentar Catarinense, que reúne deputados federais e senadores do Estado


As perspectivas para conclusão das obras de duplicação do trecho de 73,9 km da BR-280 – do Porto de São Francisco do Sul até Corupá, contornando Guaramirim e Jaraguá do Sul – não são nada animadoras. Um estudo realizado pela Fiesc (Federação das Indústrias de Santa Catarina), com o apoio do Crea (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) de Santa Catarina constatou poucas frentes de trabalho, obras especiais não iniciadas (viadutos, pontes e passarelas) e desapropriações pendentes. O relatório foi apresentado nesta segunda-feira (8), em Jaraguá do Sul, em encontro promovido pela Fiesc em conjunto com o Fórum Parlamentar Catarinense, que reúne deputados federais e senadores do Estado. No segmento que vai do Porto até a BR-101, nenhuma obra foi iniciada e não há frente de trabalho no local. No trecho de 14 quilômetros entre a BR-101 e Guaramirim, a empresa contratada tem frentes de trabalho, mas depende da conclusão das desapropriações de cerca de 40 imóveis e o cumprimento de exigências junto à Funai (Fundação Nacional do Índio) para dar pleno andamento à obra. Este segmento da rodovia faz parte do lote 2.1, com prazo de execução até o primeiro semestre de 2017. A ordem de serviço foi assinada em 3 de dezembro de 2013.

Outros lotes
A duplicação foi dividida em mais dois lotes, além do 2.1. O prazo contratual do lote 1 é janeiro de 2019,  e prevê a duplicação dos contornos rodoviários de São Francisco do Sul, do bairro Porto Grande, e de Araquari, além da construção de 19 viadutos – nenhum iniciado. O único segmento da rodovia que permanecerá em pista simples é a travessia do Canal do Linguado (km 17,4 e 19,36). Nesta travessia está prevista a restauração do pavimento existente.

Prazo expirado
O lote 2.2 tem 23,84 quilômetros de extensão e vai do km 50,74 ao 74,58. O prazo de conclusão é o segundo semestre de 2016, já totalmente impossível de ser cumprido. O projeto executivo prevê a construção de pontes sobre os rios Itapocuzinho e Itapocu, túnel com 2.100 metros sob o Morro do Vieira, na localidade de João Pessoa, este com obras em fase inicial. Além disso, constam no contrato para este lote a construção de 14 viadutos, ainda não iniciados.

Fator positivo
Como fator positivo em relação à edição anterior do estudo, o trabalho da Fiesc destaca a qualidade das obras de recuperação e conservação realizadas no subtrecho da BR-280 entre Corupá, Rio Negrinho, Mafra e Canoinhas. O levantamento da entidade feito em 2011 apontava a necessidade urgente da recuperação do segmento.

Rodrigo Andrade/divulgação/ND

Moradores de áreas próximas a dois grandes conjuntos habitacionais no bairro Jardim Iririú, zona Leste de Joinville, reclamam da falta de conscientização de pessoas que usam o mangue para depositar todo tipo de entulho

Conscientização
Além de maior atenção do poder público, moradores de áreas próximas a dois grandes conjuntos habitacionais no bairro Jardim Iririú, zona Leste de Joinville, reclamam da falta de conscientização de pessoas que usam o mangue para depositar todo tipo de entulho. O tema é destaque na página do Centro dos Direitos Humanos de Joinville, na internet, motivada pela Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano.

Mudança de cultura
Para o engenheiro sanitarista e ambiental, Thobias Lemke, que é um dos assessores da equipe de formação da Campanha da Fraternidade em Joinville, a mudança de cultura e comportamento é fundamental para o processo de saneamento básico, que deve ser pensado em longo prazo, no entanto, todos os dias, em pequenas atitudes.

Protestos
Assim como outras associações empresariais do país, a Acij lançou nota em que apoia a manifestação agendada para o próximo domingo, a partir das 16h, na Praça da Bandeira.  A mensagem destaca que “o Brasil precisa ser de todos os brasileiros. E, para isso, tem de ouvir sua própria voz”, diz o texto.

Entrelinhas
A nota afirma que o país atravessa “momento grave, que associa séria crise política, institucional e econômica e provoca uma sensação desagradável de impunidade e inoperância.” É a primeira vez que a Acij se manifesta de forma tão contundente sobre o assunto.

Edificações
Projeto de lei aprovado na Comissão de Legislação da Câmara de Vereadores de Joinville estabelece que edificações de grande porte e em que há grande circulação de pessoas poderão ter que apresentar o Lite (Laudo de Inspeção Técnica), acompanhado de ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) ou RRT (Registro de Responsabilidade Técnica), contendo parecer técnico classificando as condições da edificação como Normal, Sujeita a Reparos ou Sem Condições de Uso.

Periodicidade
A regra geral é que a periodicidade em que deve ser apresentado o Lite é de cinco anos. Entretanto, edificações com marquise em concreto armado e fachadas com revestimento cerâmico devem apresentar o Lite a cada 3 anos; e edificações com mais de 60 anos devem apresentar anualmente.

Desobrigados
Nem todos os edifícios ficam obrigados a passar pela inspeção, caso o projeto venha a ser aprovado. Casas, vilas, geminados, sobrados, edifícios de até três pisos e edifícios comerciais de até 60m² que não tenham marquise na fachada não vão precisar apresentar o Lite. O projeto, do vereador James Schroeder (PDT), agora tramita na Comissão de Urbanismo antes de ir a plenário.

Josi Tromm Geisler/divulgação/ND

Presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Rodrigo Fachini (PMDB), à direita, aproveitou a oportunidade para conversar com o governador Raimundo Colombo (PSD)

Pedido
Em evento organizado pelo Grupo RIC, em parceria com a Alesc e o Governo do Estado, para uma troca de ideias visando manter o desenvolvimento de Santa Catarina, o presidente da Câmara de Vereadores de Joinville, Rodrigo Fachini (PMDB), aproveitou a oportunidade para conversar com o governador Raimundo Colombo (PSD). Fachini pediu mais uma vez uma atenção especial e agilidade para a pavimentação da rua Copacabana, no bairro Floresta. Ano passado, Fachini entregou em mãos ao secretário de Estado de Infraestrutura, João Carlos Ecker, um estudo e projeto feito pelo Ippuj para melhorias e pavimentação daquela importante via da região Sul da cidade.

Loading...