Duplicação da rua Deputado Antonio Edu Vieira é retomada

Atualizado

Conforme anunciado pela prefeitura de Florianópolis, foi retomada na manhã desta terça-feira (19) a obra de duplicação da rua Deputado Antonio Edu Vieira, no bairro Pantanal. A ampliação da pista é considerada de importância vital para melhorar a fluidez do trânsito e é aguardada pela comunidade do entorno da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) há pelo menos 25 anos.

Os trabalhos começaram com a limpeza do terreno ao lado da universidade, que estava coberto de mato, e incluem ainda serviços de terraplanagem, colocação de base e pavimentação asfáltica. De acordo com o secretário de Infraestutura do município, Valter Gallina, a previsão é de que até julho essa etapa esteja finalizada.

Obra recomeça com limpeza do terreno que ficou tomado pelo mato – Marco Santiago/ND

Com a pavimentação concluída, o trânsito deverá ser deslocado para as novas pistas, enquanto a equipe trabalha na recuperação das pistas antigas. Segundo a prefeitura, isso deve acontecer no segundo semestre, mas será comunicado antecipadamente.

O secretário de Infraestrutura explica que a ideia é trabalhar em duas frentes e entregar a obra completa, nos dois trechos, em um prazo que varia entre 15 e 18 meses. “O contrato prevê 24 meses, mas como temos os recursos assegurados, conversamos com a empreiteira responsável pela execução para tentar antecipar a entrega”, diz Gallina.

Para isso, a execução poderá ocorrer em dois turnos. A primeira frente de trabalho abrange o trecho de 1,3 quilômetro, que vai dos 300 metros antes do trevo da Dona Benta, na avenida Professor Henrique da Silva Fontes (Beira-Mar Norte), até a rótula da Eletrosul, entre a rua Deputado Antônio Edu Vieira e a avenida César Seara, no Pantanal.

Nos 200 metros antes do trevo da Dona Benta, a pista de concreto está pronta, mas ainda é necessário fazer o alargamento de faixa e construída a estação dupla de embarque e desembarque dos ônibus BRTs, além de ciclovias e outras benfeitorias.

“A primeira coisa é fazer o corredor exclusivo para o transporte coletivo, as ciclovias e demais melhorias. Enquanto isso, os técnicos da secretaria estão discutindo se será possível, posteriormente, transformar a Edu Vieira e a Rua Capitão Romualdo de Barros, na Carvoeira, em binários”, explica o secretário. Se a ideia se mostrar viável, essas ruas terão mão única, mas por enquanto são apenas estudos.

Duplicação da Rua Deputado Antonio Edu Vieira é retomada – Marco Santiago/ND

A segunda frente de trabalho tem extensão de 1,9 quilômetro, começando 300 metros antes do Armazém Vieira, na avenida Prefeito Waldemar Vieira, no Saco dos Limões, até a saída sul do Túnel Antonieta de Barros. Conforme a prefeitura, a empreiteira já sinalizou que pretende começar essa parte logo, paralelamente ao primeiro trecho.

A obra orçada em R$ 32,4 milhões, com recursos da Caixa Econômica Federal, prevê ainda três desapropriações na avenida Prefeito Waldemar Vieira, cujos recursos para indenizações estão previstos no orçamento municipal. A intervenção nesses 3,2 quilômetros faz parte do trecho sul do anel viário, que percorrerá toda a avenida Beira-Mar Norte, desde o centro até a Via Expressa Sul, dentro da proposta de mobilidade urbana para a Capital.

Motoristas ansiosos por resultados

Com tantos problemas de mobilidade em praticamente todas as regiões da Ilha, os motoristas que se deslocam pelo bairro Pantanal, demonstram ansiedade por resultados.

José Silvio Wu: trânsito terrível nos horários de pico – Marco Santiago/ND

O aposentado José Silvio Wu, que mora na Lagoa da Conceição, considera o trânsito na Edu Vieira terrível, especialmente nos horários de pico. “Quando posso, pego um atalho pela Carvoeira. Só venho por aqui quando estou retornando do Centro, aí passo pelo túnel e pego a Edu Vieira para acessar o Córrego Grande e ir para a Lagoa. Acredito que essa duplicação vai ser benéfica para desafogar o tráfego aqui na região”, avalia.

Magda Ratão levou mais de uma hora do Itacorubi ao Pantanal, pela Edu Vieira – Marco Santiago/ND

A expectativa também é grande para a representante comercial Magda Ratão, que revela já ter levado mais de uma hora do bairro Itacorubi, onde reside, até a Elase, ao lado da Eletrosul. “Espero que melhore, porque em determinados horários há muita fila e o trânsito pára”, revela.

Para Ari Vidal, morador do Pantanal, obra já chega ultrapassada – Marco Santiago/ND

Já para o morador nativo do bairro Pantanal, Ari Vidal, a obra não inspira muita confiança. “Nos meus 63 anos, já ouvi de tudo sobre essa rua: que ia sair um túnel, que ia duplicar, e nunca sai nada. Essa é uma obra atrasada, que quando terminar já vai estar ultrapassada”, opina o caminhoneiro.

Até o momento, não há impactos no trânsito nas imediações da universidade, porque o serviço acontece no espaço paralelo à pista de rolagem.

Trânsito