‘É um assunto do Poder Federal’, diz Koerich sobre desmembramento de ministério de Moro

Atualizado

O presidente Jair Bolsonaro descartou nesta sexta-feira (24) a possibilidade de desmembrar o Ministério da Justiça e Segurança Pública em duas pastas. As declarações foram dadas em sua chegada à Nova Délhi, na Índia, para uma missão de quatro dias.

“A chance no momento é zero, tá bom? Não sei amanhã, na política tudo muda, mas não há essa intenção de dividir”, disse. As informações são do Estadão.

O presidente negou ainda a existência de atritos com seus ministros. “Não existe qualquer atrito entre eu e o Moro, entre eu e o Guedes, eu e qualquer outro ministro”, disse. “O governo está unido, sem problemas”.

Na quarta-feira (22) Jair Bolsonaro recebeu de secretários estaduais de Segurança Pública cinco sugestões para políticas na área em uma reunião. De todas elas, ele anunciou publicamente apenas uma – a divisão do Ministério da Justiça, com a recriação da pasta da Segurança Pública.

Santa Catarina em pauta

Segundo o presidente do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial de Santa Catarina, delegado Paulo Koerich, houve uma reunião ordinária da SSP, em Brasília, onde foram tratados assuntos de todos os estados. Durante essa reunião foi feita uma visita ao presidente e alguns temas foram apresentados.

Delegado Geral da Polícia Civil, Paulo Koerich – Foto: Marco Santiago/ND

“Foram assuntos como aumento de orçamento para o Ministério da Justiça, repasse de recursos fundo a fundo, desoneração de impostos de produtos destinados a segurança pública, a obrigação das empresas de concessionárias de serviço de telefonia bloquearem os sinais em áreas de segurança, além da aproximação da embaixada americana com as forças brasileiras”, explicou o secretário.

Questionado sobre quais foram as pautas para Santa Catarina, o secretário afirmou que “o Estado segue aliado com o Ministério da Justiça nas busca de aprimoramentos por recursos”.

Em relação ao descarte feito pelo presidente Bolsonaro, Koerich disse que não tem o que falar pois é “um assunto do Poder Federal, e não tem autoridade para falar sobre isso”.

Política