“Ele não tinha problema de saúde”, diz amiga de compositor que morreu por Covid-19

Atualizado

“Ele não tinha nenhum problema de saúde, era saudável, estamos em choque desde o momento em que ele foi para o hospital”. O relato é de Dayane Alves Jacinto, 38 anos, amiga de infância e colega de trabalho de Deison Molon Ignacio.

Deison era compositor e professor – Foto: Reprodução/Instagram

Compositor e professor de música, Deison morreu aos 34 anos, na madrugada desta terça-feira (7), em Tubarão, no Sul de Santa Catarina, vítima de coronavírus (Covid-19).

A informação foi confirmada pelo Hospital Nossa Senhora da Conceição e pela Secretaria de Saúde Municipal.

De bem com a vida

Segundo Dayane, o músico era uma pessoa extrovertida e gostava de lidar com crianças.

“Ele sonhava em levar a aula dele para frente, ser valorizado como músico”, conta a amiga.

Deison era formado em Artes com licenciatura em Música. Tocava violão clássico, guitarra, teclado, flauta, gaita de boca e era cantor. Ele trabalhava na Natural Arte – Escola de Música, em Tubarão, desde a abertura da escola, em 2008.

Leia também:

Banda Ravel

Apaixonado por música, Deison tocou na banda Ravel em 2008. Segundo a ex-colega do compositor, Grasiela Graminez, o artista era uma pessoa carinhosa, simpática e muito alegre.

“Foi um choque, convivi com ele por vários anos na banda e nunca foi relatado qualquer problema de saúde pré-existente”, contou.

Deison Freitas (de jaqueta vermelha) na época da banda Ravel – Foto: DIvulgação/ND

O responsável pela banda, Itamar Esmeraldino, afirma que Deison deixou “boas lembranças”. “Era muito profissional, responsável e leal. Construiu amizade no grupo onde era muito querido”, contou.

Entrada no hospital

Deison deu entrada no Hospital Nossa Senhora da Conceição no dia 19 de março. Duas semanas antes, relata Dayane, o professor já havia se afastado da escola de música onde trabalhava para tratar um problema de amigdalite.

“Nós sempre estávamos em contato com ele para ver se estava melhor, quando foi decretado que devia ser tudo fechado devido à pandemia do coronavírus”, relata Dayane.

“Nesse momento (do decreto) ele já estava em casa. Conversei com ele para ver se ele poderia dar as aulas online e ele disse que não conseguia andar da cama até o banheiro sem parecer que tinha corrido uma maratona”, contou a amiga.

No mesmo dia da ligação, Deison foi levado para o hospital e acabou sendo encaminhado direto para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O resultado positivo para Covid-19 foi comunicado à Vigilância Epidemiológica Municipal no dia 23 de março.

Segundo a amiga, a vítima não tinha nenhuma doença pré-existente, bebia apenas socialmente e se cuidava, pois era preocupado com as cordas vocais.

O velório aconteceu na tarde desta terça-feira (7), em Tubarão. Dayane esteve com a família para se despedir do amigo.

A reportagem tentou contato com a Secretaria de Saúde de Tubarão mas não obteve retorno.

Saúde