‘Elevador não caiu’, aponta perícia após acidente em lar de idosos em Chapecó 

Atualizado

Após o acidente que deixou duas pessoas feridas num elevador para cadeirantes, na manhã de quarta-feira (14), em Chapecó, o IGP ( Instituto Geral de Perícias) periciou o local dos fatos. O caso ocorreu num lar de idosos. 

Bombeiros, Samu e SaerFron trabalharam no resgate das vítimas

O laudo oficial do IGP pode levar até 30 dias para ser concluído. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão, a perícia – realizada ainda na quarta-feira – apontou que o elevador não caiu, diferente do que havia informado o Corpo de Bombeiros. 

Conforme a perícia, a plataforma foi acionada no segundo andar da casa e a porta foi liberada sem o elevador estar no pavimento. 

A enfermeira abriu a porta e entrou de costas no elevador, levando a cadeira de rodas onde estava a idosa, de 86 anos. A mulher não viu que a plataforma não estava no andar e, ambas caíram juntas de 2,69 metros. 

Das duas vítimas feridas, a mais grave foi a idosa que foi atendida pelas equipes de socorro com traumatismo craniano e parada cardiorrespiratória. Ela foi reanimada ainda no local e levada ao Hospital Regional do Oeste em estado grave. 

Segundo a assessoria do HRO a idosa realizou exames, foi medicada e assistida por um neurologista. Até a tarde de quinta-feira (15), a mulher estava internada em estado grave na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do hospital. 

Já a enfermeira e cuidadora, de 23 anos, que estava junto com a idosa no momento do acidente, foi levada estável a um hospital particular. 

Inquérito 

A 1ª Delegacia da Polícia Civil instaurou um inquérito policial para apurar o caso. De acordo com o delegado, Thiago Oliveira, serão feitas diligências para apurar os motivos do acidente, se houve negligência e possíveis responsáveis. “Solicitamos ontem ainda a abertura do procedimento”, disse. 

O inquérito policial deve ficar pronto também em 30 dias, mas pode ser adiado se houve complexidade na investigação.

Mais conteúdo sobre

Polícia