Em defesa do consumidor

Procon. Murilo de Oliveira comemora três anos de conquistas à frente do órgão

Rogério Souza Jr/ND

Orgulho. Há 38 meses à frente do órgão de defesa do consumidor, Murilo comemora os 87% de resolução das reclamações que chegam até ali, além das ações que envolvem a comunidade e o consumidor

Quando participou da campanha eleitoral em 2008, pela candidatura do amigo de infância Luiz Zera – que foi eleito –, Murilo César Pereira de Oliveira talvez não imaginasse que estaria prestes a iniciar uma nova carreira. “Sempre trabalhei na área de administração, contabilidade, direito tributário… Quando o Zera assumiu, convidou-me para a chefia do Procon de São Francisco do Sul. Aceitei e acabei descobrindo um trabalho árduo, mas gratificante”, diz Murilo, logo após anunciar e premiar os alunos vencedores dos concursos de redação e de desenho da 4ª Semana do Consumidor – uma inovação criada por ele. A empolgação é visível quando Murilo enumera as conquistas destes três anos à frente do órgão.
Francisquense criado nas imediações do centro histórico, filho de um marceneiro e uma professora, Murilo nasceu em 1964, último dos três filhos da casa. “Fui criado na praia do Mota, me acostumei a sair para pescarias com meu pai e meu irmão mais velho”, conta, logo se emocionando ao acrescentar que tanto o pai como o irmão morreram precocemente. “Foram as perdas mais duras que tive na vida.”
A partir do ensino médio, a vida de Murilo passou a ter as cores de Joinville, para onde se mudou, fez faculdade, casou-se e constituiu família. “Passei mais da metade da vida em Joinville, mas jamais abandonando as raízes em São Francisco.” Formou-se bacharel em ciências contábeis pela Univille (ainda no tempo de Furj), seguindo-se pós-graduações em controladoria, administração financeira e direito tributário.
Trabalhou muitos anos na controladoria da Consul e depois no Laboratório Catarinense. “O período no Laboratório foi um aprendizado a mais, pois pude participar de projetos sociais, muito incentivados pela empresa”, reforça. Também trabalhou na Martinelli Advogados, o que lhe permitiu viajar pelo país inteiro. Finalmente veio o voo-solo, com a firma Oliveira Consultoria. Ainda em Joinville, durante 11 anos Murilo atuou como voluntário no corpo de bombeiros. Era ainda professor no Iesville, de onde precisou se afastar quando foi chamado pelo amigo Zera para a campanha.

“Fui criado na praia do Mota, me acostumei a sair para pescarias com meu pai e meu irmão mais velho.”

Arquivo pessoal/Divulgação/ND

 
Arquivo pessoal/Divulgação/ND

Atuação. Murilo com grupo de voluntários na ação social do Dia das Crianças, no bairro Majorca; ao lado, o time de futebol feminino do Ypiranga (Murilo está à direita, com o troféu)

Um choque no Procon
Logo após a vitoriosa campanha de 2008, Murilo coordenou a equipe de transição na Prefeitura. Em janeiro do ano seguinte assumiu a chefia da Ouvidoria, Cidadania e Direito do Consumidor, o Procon. “Procuramos, logo de cara, dar um choque de agilidade no Procon, ainda pouco conhecido da comunidade. Precisamos arregaçar as mangas e sair do comodismo, tornando-nos parceiros do contribuinte.”
Entre as novidades, foi criada a Semana do Consumidor, que encerrou no dia 24 de março a quarta edição. Murilo também instituiu o Procon Itinerante, que a cada mês vai para um bairro da cidade. “São Francisco do Sul foi a segunda cidade no Estado a obrigar a instalação de guarda-volumes em agências bancárias”, orgulha-se, brandindo os números: 5,6 mil reclamações em 38 meses, com 87% de resolutividade.
Coroinha na infância, Murilo participa do projeto Via Sacra, que reproduz, no morro do Acaraí as 14 estações do martírio de Cristo. Também é ligado ao futebol, especialmente ao Ypiranga F. C., onde é diretor social. “O clube foi fundado pelo meu avô”, reforça, lembrando que o time foi campeão estadual em 1940. “Hoje temos uma equipe de veteranos e outra de futebol feminino, um grande projeto de abrangência social.”

Acesse e receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Notícias