Em enquete, usuários do ND+ acreditam que recursos da Hercílio Luz deveriam ir para Saúde

Atualizado

As polêmicas que envolvem a ponte Hercílio Luz – de atrasos constantes a gratificações milionárias pagas a funcionários do Deinfra (Departamento de Infraestrutura de Santa Catarina) – desanimam os catarinenses em relação à entrega das obras de seu principal cartão-postal. A frustração é tamanha que o investimento na revitalização da estrutura vem, com o passar dos anos, deixando de se tornar uma questão prioritária para a população. É o que indica o resultado de uma enquete realizada no aplicativo ND+, na qual a maior parte do público acredita que novos recursos públicos deveriam privilegiar a Saúde em Santa Catarina.

Obra de restauração da ponte Hercílio Luz, que já consumiu R$ 355,7 milhões, não tem previsão para ser concluída – Marco Santiago/ND – Divulgação/RIC Mais SC

Pelo aplicativo, lançado em conjunto com o novo portal ND+, na última semana, os usuários responderam a pergunta: “Você acha que devem ser investidos mais recursos públicos para concluir a reforma da ponte Hercílio Luz?”. Além de “Sim”, os usuários tiveram a opção de responder se os investimentos deveriam, ao invés das obras da ponte, priorizar os setores da Saúde, Educação ou Segurança.

Contemplada esta semana com a notícia de que receberá um investimento do governo federal de R$ 30 milhões, a área da Saúde é prioridade para 78% dos participantes. “O ideal é que construam bons e grandes hospitais no interior para desafogar os grandes centros”, escreveu o usuário Fabio Vieira. “Não adianta encher Joinville e Florianópolis e as pessoas terem que vir lá do Oeste para serem atendidas”, comentou.

Já 7,1% dos usuários acreditam que novos recursos devem ser destinados à revitalização do cartão-postal, que ainda não possui um prazo de entrega fixo. Em janeiro, o secretário estadual de Infraestrutura e Mobilidade, Carlos Hassler, foi questionado sobre a data e afirmou apenas: “não antes de dezembro de 2019 é a nossa previsão”. Na ocasião, ele apresentou um cronograma financeiro da obra e informou que faltavam aplicar R$ 112 milhões.

A prioridade de investimentos destes recursos na Educação, por sua vez, recebeu 2% dos votos. Nenhum usuário escolheu a alternativa que prioriza a Segurança.

Mais conteúdo sobre

Infraestrutura