Em Joinville, Mourão fala sobre os países vizinhos e enxugamento do Estado

Atualizado

O vice-presidente Hamilton Mourão em palestra na Associação Comercial de Joinville – Foto: Luana Amorim/ND

O vice-presidente Hamilton Mourão chegou por volta das 16h20 no Salão Nobre da Acij (Associação Empresarial de Joinville), que ficou lotada de empresários e convidados para participar da palestra com o vice-presidente.

O vice começou a palestra em Joinville agradecendo os políticos presentes no local, empresários e membros das forças armadas.

Leia também:

Ele começou dizendo que o mundo vive um momento de extrema mudança, citando dois fenômenos: revolução tecnológica e a globalização. Enfatizou a importância da inovação constante tanto na área empresarial quanto de competência humana, para fazer frente a essas mudanças.

Ao falar do Brasil, o vice-presidente comentou. “Nosso país ainda é muito periférico. Nós somos vistos com um supermercado. O pessoal vem aqui e compra commodities, e leva embora”, pontuou.

O vice-presidente também comentou o resultado das eleições na Argentina, que o país vizinho está “trazendo ao poder aqueles que o colocaram na situação que vive agora”.

Sobre o Chile, parceiro comercial importante e então considerado mais equilibrado economicamente com as reformas, salientou que o país não conseguiu resolver os problemas da desigualdade. “De uma hora para outra o Chile se incendeia com o aumento nas passagens do metrô”, disse.

Equilibrando a balança

Mourão falou sobre o equilíbrio fiscal e que a primeira medida foi a reforma da previdência. “Agora vamos ter uma previsão dos gastos previdenciários, porém, daqui a cinco e seis anos vamos ter que discutir isso de novo”.

Também falou sobre as privatizações, mencionando que o governo tem mais de cem empresas que podem ser privatizadas. Ainda falou do enxugamento do Estado. “Só o governo federal tem 700 mil funcionários”, disse, completando que os aposentados já não serão mais substituídos.

Antecipou também a reforma administrativa, que será encaminhada em breve. O objetivo, diz Mourão, é diminuir o número de funcionários e empregar a tecnologia dos serviços públicos.

Mourão chegou ao Estado no início da manhã, no Aeroporto de Joinville, onde foi recepcionado pela vice-governadora, Daniela Cristina Reinehr, e outros políticos da região. De lá, ele seguiu para Jaraguá do Sul, onde visitou uma empresa

Ele almoçou com empresários e palestrou na ACIJS (Associação Empresarial de Jaraguá do Sul).

Esta é a segunda vez que o Mourão cumpre agenda oficial no Estado. Em julho deste ano, ele participou de um evento na Acaert, em Florianópolis, onde fez um balanço dos primeiros seis meses de governo.

Mais conteúdo sobre

Política