Empresário do setor pecuarista de Rondônia estava no monomotor que caiu em Florianópolis

Robson Guimarães havia comprado o avião em julho de 2015

O empresário Robson Guimarães e o piloto Marlon Neves estavam no avião monomotor que caiu no mar poucos minutos depois de decolar do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, nesta segunda-feira (1). A confirmação foi feita por funcionários de uma empresa dirigida e presidida por Guimarães. Uma colaboradora, que estava emocionada no momento que atendeu ao telefonema da redação do Notícias do Dia e que não quis se identificar, ainda afirmou que a família aguarda notícias mais precisas sobre o acidente para, depois, se deslocar a Florianópolis.

:: Aeronave que saiu de Florianópolis cai próximo à Ilha do Campeche

Divulgação/Daher/ND

Robson (à dir.) no dia em que o monomotor foi entregue 

Robson Guimarães era um pecuarista. Em 2003, em Ji-Paraná (RO), fundou a empresa Bigsal, na qual era diretor-presidente, e passou a fabricar produtos voltados para cria, recria, engorda, corte e ordenha de gado. Em 2008, entrou expandiu os negócios para os ramos da avicultura e da piscicultura.

Aeronave era nova e foi comprada em julho de 2015

A aeronave que caiu próximo à Ilha do Campeche poucos minutos após deixar o Aeroporto Internacional Hercílio Luz era um modelo TBM900, da fabricante francesa Daher. De acordo com notícia veiculada no site da distribuidora oficial da aeronave, Robson Guimarães adquiriu o avião em julho do ano passado.

Ainda segundo a distribuidora, o modelo é o monomotor mais rápido do mundo, com 330knots (611 km/h) de velocidade de cruzeiro. O veículo tem capacidade para cinco passageiros e um piloto e pode voar até a 31 mil pés de altura (quase 10 quilômetros).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Notícias

Loading...