Engordamento de faixa de areia pode garantir “upgrade” ao turismo de Florianópolis

Atualizado

Canasvieiras terá tamanho da faixa de areia triplicado com projeto. Foto: Marco Santiago,ND

Mais do que estruturantes, dois projetos de engordamento de faixa de areia prometem garantir um “upgrade” para o turismo de Florianópolis, com geração de emprego e renda.  Orçado em R$ 16 milhões, o projeto de Canasvieiras, no Norte da Ilha, está em fase de licitação, enquanto o da Beira-Mar Norte deverá ser lançado no final do ano para conclusão no segundo semestre de 2020.

Com licitação lançada no início do ano, o projeto de engordamento da faixa de areia de Canasvieiras segue o rito normal. Das 11 empresas interessadas, cinco foram inabilitadas porque não obedeceram a requisitos descritos no edital, porém duas delas apresentaram recurso para continuar na disputa da concorrência pública. “Já fizemos os contra recursos que estão em análise”, informa o secretário municipal de Infraestrutura, Valter Gallina.

Após essa etapa, o processo licitatório prossegue com a abertura das propostas, seguido dos prazos recursais. “Dentro do que a gente imagina, poderemos assinar o contrato em julho, a ordem de serviço no final do mês de julho para que as obras se iniciem em agosto, após o período de pesca da tainha”, relata Gallina. A obra já tem licença ambiental prévia emitida pelo IMA (Instituto do Meio Ambiente) e deverá estar concluída no prazo de quatro a cinco meses para ser entregue à comunidade até 15 de dezembro de 2019.

Atualmente, a faixa de areia na praia de Canasvieiras, uma das mais visitadas da Ilha de Santa Catarina durante a alta temporada, tem no máximo 12 metros de extensão. Com o engordamento serão acrescidos mais de 100 mil metros cúbicos de areia em uma faixa litorânea de 2,3 mil metros. O material é suficiente para garantir uma faixa de área de 50 metros de largura, porém, com a estabilização da areia no fundo do mar e a hidrodinâmica costeira, essa largura deverá ser reduzida a 35 metros, quase três vezes mais do que a faixa de areia disponível atualmente.

Beira-Mar Norte vai ganhar praia a partir do projeto de balneabilidade. Foto: Viviane de Gênova/ND

O projeto de engordamento de areia da avenida Beira Mar Norte, no trecho que está sendo tratado pela Casan através da URA (unidade de recuperação ambiental) recentemente instalada junto a ETE (estação de tratamento de esgoto), estão em fase de elaboração. “Já estamos recebendo os exames do local ,que está próximo de ficar 100% balneável . Após finalizarmos o projeto técnico, faremos o estudo ambiental e a licitação poderá ser lançada no final do ano”, destaca Gallina.

A obra deverá ter um custo similiar ao projeto de Canasvieiras, ou seja, em torno de R$ 16 milhões. “Eu não tenho dúvida que será a praia mais democrática de Florianópolis, reunindo a população da Beira Mar Norte e do Maciço do Morro da Cruz. Vai gerar emprego e renda e tornará a região economicamente viável”, completa Gallina.

Terceiro projeto no Sul

Um terceiro projeto de engordamento de faixa de areia na Praia da Armação, no Sul da ilha, também está na mira da Prefeitura de Florianópolis. Porém, segundo Gallina, ainda é “incipiente”, por estar em fase de estudos (elaboração do estudo de impacto ambiental, o EIA-Rima) e ser mais caro do que os dois projetos iniciais.

Localizada no Sul da Ilha, a Praia da Armação sofreu nos últimos anos com as alterações na hidrodinâmica costeira provocada pela ocupação imobiliária e obras, como o molhe na foz do Rio Sangradouro, além das variações de maré. Casas localizadas nas encostas chegaram a desabar, obrigando o município a realizar obras emergenciais, com a colocação de pedras para impedir o avanço do mar.

Turismo