Espanhóis voltam às urnas para eleger deputados e senadores

Atualizado

Pela quarta vez desde 2015, os eleitores espanhóis voltaram neste domingo (10) aos colégios eleitorais para escolher novos deputados e senadores.

Assim, eles tentam superar o impasse político gerado pela incapacidade dos partidos elegerem uma maioria que lhes permitam nomear o futuro primeiro-ministro e governar em um regime monárquico parlamentarista.

Serão eleitos 350 deputados e 208 senadores. Para assumir a chefia do governo, ou seja, para nomear o futuro primeiro-ministro, um partido deve eleger ao menos 176 deputados.

Em abril deste ano, o Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) conseguiu 123 dos 350 assentos. O PSOE negociou o apoio de outros partidos para nomear o atual primeiro-ministro interino e líder socialista Pedro Sánchez, mas as conversas não avançaram, resultando na convocação de novas eleições parlamentares.

Até as 14h, 37 milhões já haviam votado

Até as 14 horas (horário de Madri, 10 horas em Brasília), pelo menos 38% dos 37 milhões de espanhóis aptos a participar das eleições já tinham depositado seu voto em uma das 211 mil urnas eleitorais existentes.

A participação inicial, segundo o secretário de Comunicação, Miguel Ángel Oliver, e a subsecretária do Ministério do Interior, Isabel Goicoechea, foi 3,5% inferior ao comparecimento registrado até a mesma hora durante a votação de 28 de abril. Naquela ocasião, 41,5% dos eleitores já tinham votado até as 14 horas.

Segundo a subsecretária, o processo transcorre “com grande normalidade”, embora dois eleitores tenham passado mal e morrido enquanto votavam. De acordo com a imprensa espanhola, uma idosa faleceu em um colégio eleitoral da cidade de Vélez de Benaudalla, em Granada.

A segunda morte foi registrada em Gipuzkoa, uma província do País Basco, onde um idoso, aparentemente, sofreu um infarto.

“Temos que lamentar o falecimento de dois eleitores. Uma em Granada, outro em Gipuzkoa”, declarou Isabel Goicoechea sem fornecer mais detalhes. A subsecretária mencionou apenas dois casos de atrasos no início da votação, que começou as 9 horas (5 horas em Brasília).

A maioria dos locais de votação permanecerão abertos até as 20 horas na Espanha (16 horas em Brasília), com exceção daqueles onde houve algum atraso e dos colégios eleitorais nas Ilhas Canárias, onde a votação será encerrada as 21 horas (17 horas no Brasil).

A expectativa é de que os primeiros resultados da apuração sejam anunciados às 22h30 (às 18h30 pelo horário de Brasília).

Mais conteúdo sobre

Política