Estado cria novas vagas escolares no Norte da Ilha com salas modulares

Atualizado

A SED (Secretaria de Estado da Educação) adquiriu uma estrutura de salas modulares para atender até 600 alunos no Norte da Ilha. A região da capital catarinense, sobretudo, vem sofrendo com falta de vagas escolares.

Serão 10 salas de aula modulares com capacidade de 30 alunos, totalizando, portanto, 300 novas vagas por período para estudantes do Ensino Fundamental e Médio.

Projeto de salas modulares – Foto: Divulgação/ Secretaria De Estado da Educação

O investimento do Governo do Estado de Santa Catarina é de R$ 1,8 milhão. A conclusão das obras é estimada para o mês de abril. Assim, o início do atendimento aos estudantes é previsto até o fim do primeiro trimestre letivo. A contratação emergencial atende à necessidade de mais vagas no Norte da Ilha, formalizada em um acordo com o Ministério Público em 2019.

Estrutura

A estrutura será instalada no terreno da EEM Jacó Anderle, no bairro Vargem Grande. O diferencial será o uso de painéis modulares – material que torna a obra mais rápida.

O local terá cozinha, refeitório, sala para os professores e sala multimídia, além de isolamento térmico e acústico do espaço para as aulas. Em 2019, estudaram 1,5 mil alunos do ensino médio na EEM Jacó Anderle.

O secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni, destaca que a escola modular é uma solução rápida e inovadora para a demanda crescente por vagas no Norte da Ilha.

Leia também

Após a construção de uma nova escola na região, as salas modulares podem, no entanto, ser realocadas para outra região.

– Rapidamente, nós teremos a construção de uma estrutura adequada, moderna, com ambiente climatizado e que atende a todas as exigências. De outra forma, levaríamos um tempo bem maior para termos uma solução que pudesse prover a oferta de vagas para os alunos no Norte da Ilha – ressalta o secretário de Estado da Educação, Natalino Uggioni.

O planejamento da Secretaria de Estado da Educação é que os estudantes matriculados nas salas modulares comecem o ano letivo após o período regular, até o fim do primeiro trimestre letivo.

Para cumprir os 200 dias letivos ou 800 horas/aula, há várias possibilidades em estudo: reduzir o período de férias em julho, não emendar feriados e, se for necessário, oferecer atividades extraclasse em alguns sábados.

Construção de uma nova escola

Enquanto isso, a Secretaria encaminha os trâmites para o início da construção de uma nova escola no bairro Ingleses.

O projeto terá 12 salas de aula com objetivo de atender até mil alunos em um terreno que será cedido pela prefeitura de Florianópolis.

O projeto que oficializa a cessão aguarda por votação na Câmara de Vereadores.

No ano passado, a SED ampliou a capacidade da EEB Intendente José Fernandes em 200 vagas para atender a demanda de estudantes no Norte da Ilha.

Uma antiga creche foi reformada e adequada às necessidades do colégio, possibilitando a criação de três turmas no período da manhã e outras três à tarde.

Educação