Estiagem e alto consumo causam problemas de abastecimento de água em cidades de SC

Atualizado

A estiagem em algumas regiões do Estado combinada com o alto consumo nessa época do ano está trazendo dificuldades para o abastecimento em alguns municípios de Santa Catarina. As situações mais críticas estão localizadas em Governador Celso Ramos, na Grande Florianópolis, e Turvo, no Sul do Estado.

Ponto de captação do município de Turvo está abaixo do nível. Foto: Acervo Casan/Divulgação

No Sul do Estado, a estiagem reduziu o volume de água do sistema de captação da Casan e o abastecimento ficou comprometido.  Com auxílio do Corpo de Bombeiros de Araranguá e Turvo, os reservatórios locais da Casan receberam 32 mil litros cúbicos de água nos últimos dois dias (segunda e terça-feira) para ser tratados e distribuídos.

Além dessa remessa emergencial, há expectativa de que os reservatórios possam receber o reforço da água da chuva. De acordo a central de meteorologia da Epagri/Ciram, pancadas isoladas de chuva devem atingir o município nos próximos dias. O problema é histórico, uma vez que grande parte do território da cidade é utilizado para o plantio de arroz, cultura que necessita de farta irrigação.

Praia lotada em Governador Celso Ramos. Foto: Divulgação/PMGCR –

Em Governador Celso Ramos, a situação é agravada pelo alto consumo diante da presença de milhares de turistas. De acordo com o prefeito Juliano Duarte Campos (PSB), a situação é pontual, e está restrita à Praia de Palmas. “Passamos por um período crítico entre os dias 26 e 30 de dezembro. A cidade superlotou. Algo fora do normal”, declarou Campos.

Duas situações também agravaram a crise no abastecimento na cidade litorânea: a utilização de imóveis por mais pessoas do que o previsto, e a existência de prédios sem cisterna ou com reservatório de capacidade inferior ao número de habitantes. Para resolver a situação, a prefeitura disponibilizou caminhões-pipa. “Hoje estamos praticamente dentro da normalidade”, garantiu Campos.

Ruas do município de Governador Celso Ramos ficaram congestionadas. Foto: Divulgação/PMGCR 

O dinheiro arrecadado com a TPA (Taxa de Proteção Ambiental) que começou a ser cobrada a partir desta temporada só pode ser utilizado para questões ambientais (preservação e conservação) e não pode ser aplicado para garantir o abastecimento de água.  “Esse recurso será investido em saneamento”, explica Campos. Após o término do período da cobrança, uma audiência pública será realizada para apresentar os resultados.

Os mananciais de Governador Celso Ramos estão localizados na Serra da Armação. São rios pequenos, que tem sua vazão diminuída nessa época do ano, devido à falta de chuvas. Ao todo, são 16 pontos de captação ativos, espalhados por diversos bairros do município, que tem um sistema autônomo de distribuição de água.

Infraestrutura