Estiagem provoca assoreamento da Lagoa do Peri mas não compromete abastecimento

Atualizado

Estiagem deixa longa faixa de areia a mostra na Lagoa do Peri, no Sul da Ilha. Foto: Flávio Tin/ND

A estiagem que já se estende por mais de quatro meses está transformando o visual da Lagoa do Peri, ponto turístico e manancial hídrico do Sul da Ilha de Santa Catarina. Porém, de acordo com a assessoria de imprensa da Casan, “não há comprometimento algum da captação de água”.

O visitante que chega ao Parque Municipal da Lagoa do Peri se depara com uma grande área assoreada, que antes estava submersa pela lâmina de água. A situação preocupa moradores que chegaram a enviar fotografias do local para a reportagem da RIC TV/Record TV. A Casan foi procurada pela reportagem para explicar o que tem sido feito para minimizar o impacto da estiagem, mas apenas confirmou que a situação atual do manancial não compromete o abastecimento. No último dia 30, técnicos da empresa estiveram no local para retirar o acúmulo de areia nas bombas de captação para permitir o funcionamento perfeito dos equipamentos.

Apesar de não haver comprometimento do manancial, a Casan faz um apelo no site para que “os moradores de todas as áreas e bairros de Florianópolis, Biguaçu, São José e Santo Amaro colaborem com a economia, permitindo o abastecimento das localidades em que ocorre maior dificuldade de fornecimento de água”.

Área de captação de água na Lagoa do Peri. Foto: Flávio Tin – Foto: Flavio Tin/ND

Na Lagoa do Peri, a captação é feita em barragem de elevação de nível, ligada ao canal adutor até a estação de recalque bruto, de onde a água é bombeada para tratamento com vazão média de, no máximo, 200 litros por segundo. A água bruta passa primeiramente pelo processo de coagulação. Nesta etapa é adicionado o sulfato de alumínio para aglutinar partículas coloidais e retirar as impurezas.

Na sequência, a água passa por bateria de filtros descendentes formados por camadas de areia e seixos. Durante a filtração, são retidos os flocos formados no processo de coagulação. A limpeza dos filtros é feita por retrolavagem contra corrente, e o efluente resultante deste processo é tratado antes de ser devolvido ao canal do rio Sangradouro e levado ao mar. Para completar o processo de tratamento, são adicionados cloro (desinfecção) e flúor, como determina programa de prevenção de cáries dentárias.

Depois de tratada, á água da Lagoa do Peri é bombeada a reservatórios da região e distribuída à população do Sul até Leste da Ilha, atendendo até 150 mil pessoas. A produção da estação varia de acordo com a demanda: em média 178 litros por segundo no inverno; e, no verão, 197 litros por segundo.

O monitoramento mensal da qualidade da água do Peri é feita desde 2007, com armazenamento de informações de temperatura, influência dos ventos, radiação, condutividade, oxigênio, pH [potencial hidrogeniônico] e nutrientes. O monitoramento da Casan segue os parâmetros da Portaria 2914/2011 do Ministério da Saúde, que trata da qualidade de água para abastecimento público.

SAIBA MAIS SOBRE O MANANCIAL DA LAGOA DO PERI

A lagoa é originária de antiga enseada bloqueada naturalmente por processos de sedimentação associados a oscilações do nível do mar.

O Parque Municipal da Lagoa do Peri, regulamentado pela Lei 1.828/81, foi criado para preservar o maior manancial de água doce da Ilha, utilizado desde o ano 2000 pela Casan.

Cercada por aproximadamente 1.500 hectares de área florestal, a lagoa está entre dois e três metros acima do nível do mar, com o qual se conecta pelo rio Sangradouro, sem influências das marés.

É rodeada por cadeia montanhosa e separada do mar por vegetação de restinga. É laboratório a céu aberto para estudos sobre a qualidade da água, fauna, flora e decomposição de matéria orgânica.

Área superficial: 5,7 km2

Comprimento máximo: 4 km

Largura média: 1,7 km

Profundidade média: 4,2 m

Profundidade máxima: 11 m

Principais afluentes: riachos Cachoeira Grande, Cachoeira Pequena e Ribeirão Grande

Volume médio: 21,2 milhões de metros cúbicos de água

Reservatório principal: 20 milhões de litros

Estiagem provoca assoreamento da Lagoa do Peri mas não compromete abastecimento

Estiagem deixa longa faixa de areia a mostra na Lagoa do Peri. Foto: Flávio Tin/ND - Flavio Tin/ND

Estiagem deixa longa faixa de areia a mostra na Lagoa do Peri. Foto: Flávio Tin/ND - Flavio Tin/ND

Área de captação de água na Lagoa do Peri. Foto: Flávio Tin - Flavio Tin/ND

Área de captação de água na Lagoa do Peri. Foto: Flávio Tin - Flavio Tin/ND

Manancial hídrico das regiões Sul e Leste da Ilha sofre com os quatro meses sem chuvas regulares - Flavio Tin/ND

Manancial hídrico das regiões Sul e Leste da Ilha sofre com os quatro meses sem chuvas regulares - Flavio Tin/ND

De acordo com a assessoria de imprensa da Casan, “não há comprometimento algum da captação de água” - Flavio Tin/ND

De acordo com a assessoria de imprensa da Casan, “não há comprometimento algum da captação de água” - Flavio Tin/ND

O visitante que chega ao Parque Municipal da Lagoa do Peri se depara com uma grande área assoreada, que antes estava submersa pela lâmina de água - Flavio Tin/ND

O visitante que chega ao Parque Municipal da Lagoa do Peri se depara com uma grande área assoreada, que antes estava submersa pela lâmina de água - Flavio Tin/ND

No último dia 30, técnicos da empresa estiveram no local para retirar o acúmulo de areia nas bombas de captação para permitir o funcionamento perfeito dos equipamentos - Flavio Tin/ND

No último dia 30, técnicos da empresa estiveram no local para retirar o acúmulo de areia nas bombas de captação para permitir o funcionamento perfeito dos equipamentos - Flavio Tin/ND

Apesar de não haver comprometimento do manancial, a Casan faz um apelo no site para que “os moradores de todas as áreas e bairros de Florianópolis, Biguaçu, São José e Santo Amaro colaborem com a economia, permitindo o abastecimento das localidades em que ocorre maior dificuldade de fornecimento de água” - Flavio Tin/ND

Apesar de não haver comprometimento do manancial, a Casan faz um apelo no site para que “os moradores de todas as áreas e bairros de Florianópolis, Biguaçu, São José e Santo Amaro colaborem com a economia, permitindo o abastecimento das localidades em que ocorre maior dificuldade de fornecimento de água” - Flavio Tin/ND

Na Lagoa do Peri, a captação é feita em barragem de elevação de nível, ligada ao canal adutor até a estação de recalque bruto, de onde a água é bombeada para tratamento com vazão média de, no máximo, 200 litros por segundo - Flavio Tin/ND

Na Lagoa do Peri, a captação é feita em barragem de elevação de nível, ligada ao canal adutor até a estação de recalque bruto, de onde a água é bombeada para tratamento com vazão média de, no máximo, 200 litros por segundo - Flavio Tin/ND

A água bruta passa primeiramente pelo processo de coagulação. Nesta etapa é adicionado o sulfato de alumínio para aglutinar partículas coloidais e retirar as impurezas. - Flavio Tin/ND

A água bruta passa primeiramente pelo processo de coagulação. Nesta etapa é adicionado o sulfato de alumínio para aglutinar partículas coloidais e retirar as impurezas. - Flavio Tin/ND

Na sequência, a água passa por bateria de filtros descendentes formados por camadas de areia e seixos. - Flavio Tin/ND

Na sequência, a água passa por bateria de filtros descendentes formados por camadas de areia e seixos. - Flavio Tin/ND

Mais conteúdo sobre

Geral