Estudantes da UFSC decidem entrar em greve contra os cortes na universidade

Chefe de Gabinete da Reitoria comentou que a decisão só abrange os estudantes; docentes e técnicos continuam com as atividades

Estudantes da UFSC decidiram na tarde desta terça (10) aderir à greve geral por tempo indeterminado contra o corte de verbas e a precarização das atividades na universidade. A assembleia estudantil durou mais de três horas e reuniu mais de mil alunos na Praça da Cidadania, em frente à reitoria da universidade.

Assembleia ocorreu na tarde desta terça, na Praça da Cidadania – Luana Pillmann/Divulgação/NDAssembleia ocorreu na tarde desta terça, na Praça da Cidadania – Luana Pillmann/Divulgação/ND

A mesa foi composta por membros do DCE (Diretório Central dos Estudantes) e representantes de estudantes negros e indígenas.

O caráter da greve está centrado na recomposição do orçamento da UFSC, contra os cortes do MEC para 2020, rejeição ao programa Future-se, readmissão dos trabalhadores terceirizados, revogação da emenda de gastos, solidariedade à UFFS, entre outras deliberações.

Leia mais:

Entre os 66 cursos que já sinalizaram mobilização, alguns estão em greve e outros estão em estado de greve.

Segundo o chefe de Gabinete da Reitoria, professor Áureo Mafra de Moraes,  a decisão é da instância própria da categoria dos estudantes. As demais categorias, docentes e técnicos, comentou Moraes, continuam com atividades normais. As coordenadorias de curso serão orientadas nesta quarta (11) sobre como proceder.

+ Notícias