Ex-soldado do exército que matou DJ é condenado a 22 anos de prisão

Atualizado

Um ex-soldado do exército foi condenado a 22 anos de prisão em regime inicial fechado pela autoria de um assassinato em Laguna. Em janeiro deste ano, o acusado asfixiou o DJ e jornalista Clovis William Dos Santos, conhecido como DJ Mukirana, após uma briga na praia do Gi. A decisão do juízo da comarca de Laguna foi comunicada na última segunda-feira (15).

Dois adolescentes, também detidos, estavam no local do crime e participaram das agressões. O réu ainda teria levado o carro do DJ após o crime.

Clovis William Dos Santos, conhecido como DJ Mukirana foi assassinado pelo ex-soldado em janeiro deste ano – Facebook/Reprodução/ND

Segundo o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, as agressões seguidas de assassinato ocorreram na madrugada do dia 7 de janeiro. Clovis estava na praia do Gi, em Laguna, quando o ex-soldado e dois adolescentes tentaram roubar seu carro. Após uma briga, o acusado imobilizou e asfixiou a vítima com uma camiseta. Já desacordado, o DJ também teria recebido socos e chutes, além de ser amarrado, arrastado pela areia e jogado ao mar.

Leia também:

O corpo do DJ foi encontrado na beira da praia, após ter sido levado pelas ondas. O carro da vítima foi localizado a mais de 40 km de distância da cena do crime e em local de difícil acesso, no morro da Antena, em Tubarão.

Segundo o delegado Bruno Fernando, da DIC (Divisão de Investigação Criminal), o militar confessou o crime na época da investigação.

Além da pena por latrocínio, o ex-soldado foi condenado a dois anos de reclusão por tentativa de ocultação de cadáver e corrupção de menores, também em regime fechado, mais multa. O processo correu em segredo de justiça e cabe recurso.

Polícia