Falta de água prejudica abastecimento de escolas em Florianópolis

Atualizado

A estiagem e consequente defasagem no abastecimento de água na Grande Florianópolis tem afetado as escolas da Capital, especialmente nas áreas mais altas. Uma unidade precisou solicitar caminhão-pipa para dar continuidade às aulas. Já outra escola pediu aos pais que não levem os alunos no dia de abastecimento prejudicado.

A falta de água que atinge os municípios da região há duas semanas acendeu o alerta na rotina dos estudantes. Pelo menos três unidades escolares já registraram falta de abastecimento.

Falta de água acende sinal de atenção na rede de educação de Florianópolis – Arquivo/Agência Brasil/ND

Na Escola Municipal Beatriz de Souza Brito, no Pantanal, o abastecimento ficou prejudicado na segunda-feira (12) durante todo o dia. Segundo a direção, não houve cancelamento de aula. Porém, os pais foram sensibilizados a não levarem seus filhos para a unidade durante a tarde para economizar a água que ainda havia na caixa. A unidade atende cerca de 500 alunos.

O Núcleo de Educação Infantil Nossa Senhora Aparecida, que fica ao lado da escola e atende cerca de 150 crianças, também foi prejudicado. Na sexta-feira (9), não havia mais água na cisterna. A prefeitura precisou contratar caminhão-pipa para não suspender as atividades.

No Continente, a escola Almirante Carvalhal, em Coqueiros, também registrou interrupção no abastecimento na última semana.

Leia também:

Segundo o secretário adjunto da educação em Florianópolis, Luciano Formighieri, a Defesa Civil Municipal está monitorando a situação.

“A recomendação é economizar o máximo de água, mas nós temos cisternas em quase todas elas [unidades escolares] para garantir o atendimento”, explicou.

Além das escolas, a falta de água atinge moradias da região. Um dos maiores condomínios do Itacorubi, o Maison Du Flamboyant, está com o fornecimento reduzido e irregular desde o início da estiagem. Com o medo da falta de água, o registro é fechado às 10h e só retorna perto das 17h, pelo menos até a situação ser regularizada.

Segundo a Casan, o desabastecimento afeta cerca de 10% da Grande Florianópolis e atinge especialmente quem vive em áreas mais altas. Não há expectativa de quando o problema será resolvido.

Confira os bairros mais afetados:

  • São José: Barreiros, Serraria, Potecas, Picadas do Sul, Forquilhas
  • Biguaçu: Três Riachos, Vendaval, Boa Vista e Saudade
  • Florianópolis: Monte Cristo, Jardim Atlântico, Pantanal, Itacorubi, Córrego Grande, Trindade e Serrinha
  • Palhoça: Casan esclareceu que existe o fornecimento de água para a empresa responsável pelo abastecimento no município, mas que esta não faz parte do Sistema Integrado da Casan há 12 anos.

Infraestrutura