Fazer o bem está a um clique neste Natal na árvore digital criada pela Somar

Iniciativa da rede solidária da prefeitura traz 500 cartinhas emocionantes de crianças atendidas pela plataforma e que aguardam presentes do bom velhinho

Campanha traz 500 cartinhas de crianças atendidas por entidades cadastradas na plataforma e que aguardam presentes do Papai Noel – PMF/Divulgação/NDCampanha traz 500 cartinhas de crianças atendidas por entidades cadastradas na plataforma e que aguardam presentes do Papai Noel – PMF/Divulgação/ND

Fazer o bem neste Natal está a um clique. A Somar Floripa, rede solidária da Prefeitura de Florianópolis, lançou a campanha de Natal deste ano com uma árvore digital, que traz 500 cartinhas emocionantes de crianças que são atendidas por entidades cadastradas na plataforma e aguardam presentes do bom velhinho.

Entre os pedidos, há chuteira, caixa de lego, material escolar, vestido, sapato, tênis, kit de slime e muitas outras cartinhas escritas à mão por crianças que esperam o seu presente. “No Natal, há um clima especial de fraternidade e solidariedade. Nossa campanha é uma forma de levar alegria nesse momento tão esperado pelos pequenos das nossas entidades cadastradas. Convidamos a todos a participar conosco e escolher uma linda cartinha da nossa árvore digital que eles escreveram para o Papai Noel”, afirma a presidente da rede solidária da Prefeitura de Florianópolis, Somar Floripa, Cintia de Queiroz Loureiro.

Como participar

Para participar, basta acessar o link somarfloripa.com/natal e escolher um presente de Natal para fazer a doação. Os presentes devem ser entregues diretamente na sede da rede (R. Tenente SIlveira, 60 – 1º andar) até o dia 10 de dezembro. A entrega dos presentes arrecadados será realizada entre os dias 16 e 18 de dezembro em cada uma das instituições com um Papai Noel voluntário.

Em dois anos de atuação em Florianópolis, a rede solidária Somar Floripa apresenta resultados significativos para o ecossistema de voluntariado de Florianópolis. São mais de 5.000 voluntários participantes, 80 instituições sociais cadastradas e 140 mil itens doados.

Bernunças são as novas mascotes da Comcap em mídia itinerante – PMF/Divulgação/NDBernunças são as novas mascotes da Comcap em mídia itinerante – PMF/Divulgação/ND

Bernunças a caminho do lixo zero

Neste mês, a Comcao e a rede solidária Somar Floripa, desenvolveram ações de sensibilização ambiental no Centro da cidade apontando para a meta Floripa Lixo Zero 2030. O objetivo é que a cidade, em uma década, consiga encaminhar para a reciclagem 60% dos recicláveis secos (papel, vidro, metal e plástico) e 90% dos resíduos orgânicos (restos de alimentos e podas).

Hoje, Florianópolis já é a capital que mais recicla, informa o prefeito Gean Loureiro, apontam dados da Abrepe (Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe). Em 2018, foram desviados do aterro sanitário, por meio da coleta seletiva e entrega voluntária, 6% do total de resíduos coletados pela Comcap. “Com os investimentos já feitos, ano que vem vamos triplicar esse resultado, recuperando 18% do total coletado, desde que a população separe adequadamente os resíduos”, anuncia o prefeito.

Para informar as pessoas sobre a necessidade de reciclar hábitos e separar os resíduos da melhor forma, foram instaladas estações com lixeiras em formato de bernunça, a nova mascote da Comcap, no Largo da Catedral e no Ticen. A ação no Centro terminou, mas a conscientização pela sustentabilidade continua.

“A produção de resíduos e sua destinação inadequada se tornou hoje um problema grave em todo o mundo. Queremos resolver isso em nossa cidade, reciclar o máximo possível e deixar nossa cidade e nossas praias livres de lixo”, acrescenta o prefeito Gean Loureiro.

Bernunça, a nova mascote, em mídia itinerante

A ideia do presidente da Comcap, Márcio Alves, de relacionar a personagem do folclore ilhéu à coleta dos resíduos veio pela letra da música da bernunça: “A bernunça é um bicho brabo, (…) come pão, come bolacha, come tudo que lhe dão.” “Hoje, muitas pessoas têm mudado de atitude quando percebem que o lixo mal destinado pode ser ingerido por animais, causando morte e destruição. A bernunça não existe, é folclórica, pode ensinar que se os resíduos forem separados, serão devolvidos à sociedade em forma de novos materiais e renda pela mágica da reciclagem”, afirma.

Com o atendimento das metas Floripa Lixo Zero em 2030, a reversão dos indicadores permitirá à cidade economizar R$ 16 milhões no custo com aterro sanitário e ganhar outros R$ 32 milhões com a reinserção dos reciclados no ciclo econômico.

Criação e arte em torno da bernunça

O próprio processo de confecção das estações bernunça Floripa Lixo Zero 2030 foi inovador. A Comcap usa em torno de 300 latões de lubrificante por ano. Os latões já eram usados como lixeiras em evento, mas atendendo ao desafio do presidente Márcio Alves, a oficina do Departamento de Manutenção e Transporte projetou e elaborou lixeiras em formato de bernunça e as bituqueiras, com latões de 20 litros. O artista plástico Arnaldo Valentim Brasil, o Jamaica, aplicou então sua interpretação da bernunça desenvolvida pela agência One WG.

+

Prefeitura de Florianópolis

Loading...